Archive for the ‘Segurança e Saúde no Trabalho’ Category

Prepare-se para a Semana Europeia da Segurança e Saúde no Trabalho no seu país

Outubro 5, 2011

https://i0.wp.com/www.aiccopn.pt/img/agenda/small_573.jpg

Durante a Semana Europeia da Segurança e Saúde no Trabalho, que decorrerá de 24 a 28 de Outubro de 2011, realizar-se-ão em toda a Europa centenas de eventos e actividades de campanha, designadamente conferências, seminários, exposições e sessões de formação. O tema comum a todas estas actividades é a sensibilização para a importância da manutenção segura.

Informação sobre como participar

Anúncios

Napo em… movimentos seguros

Julho 21, 2011

http://osha.europa.eu/pt/teaser/napo_in_safe_moves/image_mini

O Napo mostra que o transporte no local de trabalho deve ser bem organizado para reduzir os riscos e gerir os perigos convenientemente. Tal requer planeamento e acompanhamento por parte das chefias, avaliação dos riscos e a realização adequada das tarefas por parte dos trabalhadores, a quem deve ser ministrada a devida formação. As cenas focam a segurança dos locais, das pessoas e dos veículos, a manutenção, a visibilidade, a inversão de marcha e as actividades de carga.

Ver o filme

Ficha técnica – Evitar Acidentes com Veículos de Transporte no Local de Trabalho

Segurança e saúde no trabalho dos motoristas de veículos de transporte rodoviário

Tecnologias-chave susceptíveis de ter impacto na SST dos empregos verdes até 2020

Julho 14, 2011

http://osha.europa.eu/pt/teaser/key-technologies-likely-to-impact-on-osh-in-green-jobs-by-2020/image_mini

O relatório da fase 2 da “Foresight of new and emerging risks associated with new technologies in green jobs by 2020” [Previsão dos riscos novos e emergentes associados às novas tecnologias em empregos verdes até 2020] identifica um número restrito de tecnologias-chave susceptíveis de ser utilizadas em tarefas ecológicas e de ter impacto na SST até 2020. A lista inclui tecnologias verdes na construção, nos transportes, na indústria transformadora, no tratamento de resíduos e na produção de energia eólica, nas nanotecnologias, na bioenergia e na biotecnologia, na transmissão e na armazenagem de electricidade e nas aplicações domésticas das tecnologias energéticas emergentes. Na fase 3, uma série de workshops irá explorar os potenciais riscos emergentes destas tecnologias para a SST, com vista ao desenvolvimento de cenários futuros que ajudem as instâncias decisórias a prever esses riscos.

Relatório da fase 2 sobre as novas tecnologias susceptíveis de ter impacto na SST dos empregos verdes até 2020

 
Relatório da fase 1 sobre os principais vectores de mudança susceptíveis de moldar os empregos verdes até 2020


Perspectiva global do projecto

Relatório Anual 2010 da EU-OSHA: uma mão-de-obra saudável é primordial para a recuperação económica sustentável

Julho 10, 2011

http://osha.europa.eu/en/publications/annual_report/2010full/cover_image

À medida que a Europa emerge de uma crise económica, o Relatório Anual 2010 da EU-OSHA continua a afirmar que o bem-estar dos trabalhadores europeus é primordial para a recuperação económica sustentável. Entre os grandes acontecimentos do ano contam-se a abertura da Campanha Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis sobre trabalhos de reparação e manutenção seguros, a publicação dos resultados do Inquérito Europeu às Empresas sobre Riscos Novos e Emergentes (ESENER), e o exercício-piloto Instrumento interactivo de Avaliação dos Riscos em linha (OiRA). O relatório apresenta também as perspectivas para 2011.

Relatório Anual 2010 (inglês)

Resumo (português)

Está na hora de acabar com o cigarro no trabalho

Junho 6, 2011

http://smoke-at-work.eu/

Segurança e saúde no trabalho dos motoristas de veículos de transporte rodoviário

Maio 17, 2011

http://osha.europa.eu/en/sector/road_transport/transport/image_mini

Coincidindo com o lançamento da iniciativa das Nações Unidas «Década da Acção para a Segurança Rodoviária 2011-2020», a UE-OSHA lança um novo sítio Web para ajudar a manter a segurança dos motoristas profissionais, que inclui vários relatórios e fichas técnicas para enfrentar os desafios da gestão da saúde e da segurança no sector do transporte rodoviário.

Veja aqui: SST dos motoristas de transporte rodoviário

Dia Mundial de Segurança e Saúde no trabalho

Abril 28, 2011

https://i0.wp.com/www.ilo.org/public/portugue/region/eurpro/lisbon/images/wcms_153825.jpg

«Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho» é o título do Relatório produzido pelo Bureau Internacional do Trabalho (BIT) da Organização Internacional do Trabalho (OIT) para o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho 2011, que se comemora a 28 de Abril.

Leia aqui o Relatório

Abril 27, 2011

https://i0.wp.com/www.dnpst.eu/uploads/banner_335x150_1.jpg

Vídeo MC Simão – “Não te podes esquecer” – Vídeo do Dia Nacional de Prevenção e Segurança no Trabalho

Abril 27, 2011

O novo relatório «SST em números» foca o tema do transporte

Março 30, 2011

http://osha.europa.eu/en/sector/rail_air_water_transport/air-transport-helicopter/image_mini

O relatório ilustra os riscos profissionais enfrentados pelos trabalhadores do sector dos transportes e fornece uma panorâmica dos desenvolvimentos futuros previstos. Analisa estatísticas e estudos, e dirige-se tanto aos trabalhadores do sector como aos responsáveis políticos. Vários relatórios temáticos e específicos de cada país fornecem um quadro estatístico deste sector da indústria na Europa, bem como exemplos de boas práticas e de prevenção.

Leia o relatório (English)

Panorâmica do sector do transporte

A violência e o assédio no local de trabalho aumentam na Europa

Fevereiro 6, 2011

http://osha.europa.eu/pt/teaser/workplace-violence-harassment-increase-Europe/image_mini

A violência e o assédio por terceiros afectam entre 5% a 20% dos trabalhadores europeus segundo o novo relatório da EU-OSHA “Workplace Violence and Harassment: a European Picture” (Violência e assédio no local de trabalho: retrato europeu). Em muitos países europeus, o fenómeno da violência no local de trabalho é um problema ainda não suficientemente reconhecido, não havendo iniciativas específicas suficientes para lidar com a questão.

Ler o comunicado de imprensa

Relatório completo “Workplace Violence and Harassment: a European Picture” (inglês)

“Imigração e Sinistralidade laboral”

Fevereiro 4, 2011

https://i1.wp.com/www.act.gov.pt/(pt-PT)/Itens/Noticias/PublishingImages/Capa%20livro.bmp

“Imigração e Sinistralidade laboral” é um livro de Catarina Reis Oliveira e Cláudia Pires.

Este tem como objectivo dissertar de modo a prevenir a ocorrência de acidentes e doenças profissionais. A União Europeia definiu ao longo das últimas décadas standards mínimos de protecção de segurança no contexto laboral para os Estados Membros requererem às empresas, apostando também na disseminação de uma cultura de prevenção ao risco. A Estratégia de Lisboa veio reforçar, em particular, o objectivo de garantir mais e melhores trabalhos.

A maior sinistralidade laboral dos imigrantes verifica-se não porque esses trabalhadores são imigrantes, mas antes os acidentes reflectem os sectores e/ou ocupações e condições em que esses trabalhadores estão empregados. Por outras palavras, os imigrantes não apresentam maior sinistralidade laboral porque são imigrantes, mas antes porque se inserem em ocupações de maior risco de sinistralidade ou por lhes estarem inerentes características socioeconómicas (e.g. experiência profissional, língua, tempo de permanência no país, mobilidade ocupacional, acesso a formação e informação para o exercício de determinadas actividades ou tarefas) a que se associam maiores taxas de acidentes laborais. Assim, os trabalhadores imigrantes mostram-se mais expostos ao risco de se associarem a trabalhos menos saudáveis e fisicamente mais exigentes.

Leia aqui: Imigração e Sinistralidade Laboral

Fonte: ACT  

No inicio de um novo ano de trabalho falemos de STRESSE

Janeiro 3, 2011

https://i0.wp.com/48.img.v4.skyrock.net/486/tricoval/pics/2656109836_1.jpg

O stresse relacionado com o trabalho é um dos maiores desafios para a saúde e a segurança na Europa.

Quase um em cada quatro trabalhadores é afectado pelo stresse, havendo estudos que o apontam como responsável por entre 50% a 60% dos dias de trabalho perdidos.

Ora, isto representa um custo enorme tanto em termos de sofrimento humano como de deficiente desempenho económico.

O stresse no trabalho pode afectar qualquer pessoa, a qualquer nível. Pode ocorrer em qualquer sector, independentemente da dimensão da organização. O stresse afecta a saúde e a segurança das pessoas, mas também a saúde das organizações e das economias nacionais.

O número de pessoas que sofrem de doenças relacionadas com o stresse causado ou agravado pelo trabalho tende a aumentar. O mundo do trabalho em mutação exige cada vez mais dos trabalhadores, devido à racionalização das empresas e à externalização do trabalho, à maior necessidade de flexibilidade em termos de funções e competências, ao crescente recurso a contratos a termo certo, à crescente precariedade de emprego e à intensificação do trabalho (com maior carga de trabalho e maior pressão) e a um deficiente equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

O stresse pode levar as pessoas a adoecer e a sentirem-se profundamente infelizes, tanto no trabalho como em casa. Pode igualmente comprometer a segurança no trabalho e contribuir para outros problemas de saúde relacionados com o trabalho, como as lesões músculo-esqueléticas. Acresce que o stresse afecta significativamente as bases de uma organização.

A redução do stresse relacionado com o trabalho e dos riscos psicossociais constitui um imperativo não só moral como jurídico.

A boa notícia é o facto de o stresse relacionado com o trabalho poder ser tratado da mesma forma lógica e sistemática que qualquer outra questão relacionada com a saúde e a segurança. Há inúmeros exemplos práticos de formas de tratar o stresse na Europa. Se for adoptada a abordagem mais adequada, os trabalhadores poderão não ser afectados pelo stresse.

Como lidar com o stresse relacionado com o trabalho

 

Leia o novo relatório sobre o stresse relacionado com o trabalho, baseado em estatísticas internacionais e nacionais.

 

Fonte: Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho

8.º Festival Internacional de Cinema e Multimédia sobre segurança e saúde no trabalho

Novembro 8, 2010

http://osha.europa.eu/pt/teaser/issa-8th-international-film-and-multimedia-festival-on-safety-and-health-at-work/image_mini

A EU-OSHA apoia o Festival Internacional de Cinema e Multimédia no 19.º Congresso Mundial sobre Segurança e Saúde no Trabalho, que terá lugar em Instambul, entre 11 e 15 de Setembro de 2011.

São elegíveis para participação no Festival todas as produções sobre segurança e saúde no trabalho (incluindo filmes, ficção, notícias, documentários, animação, spots, cobertura mediática, multimédia, formação por computador ou baseada no uso da Internet e aplicações de realidade virtual) realizadas a partir de Janeiro de 2007.

A data-limite para a apresentação de candidaturas é 31 de Janeiro de 2011.

Para mais informações, consulte o Website do ISSA

Semana Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho

Outubro 27, 2010

http://osha.europa.eu/pt/teaser/get-active-the-european-week-is-starting/image_mini

Durante esta semana terão lugar em toda a Europa centenas de eventos e actividades com o intuito de celebrar a Semana Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho. O tema comum de ligação entre todas estas actividades consiste em promover uma manutenção segura, que constitui o tema central da actual campanha “Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis da EU-OSHA”.

A Campanha Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis está aberta à participação de organizações e indivíduos. Torne-se activo!

Veja AQUI

Envolva-se

Manutenção segura

Outubro 11, 2010

http://osha.europa.eu/en/topics/maintenance/maintenance.jpg/image_mini

A manutenção segura será o foco da Semana Europeia da Segurança e Saúde no Trabalho deste ano, que terá lugar de 25 a 29 de Outubro e incluirá centenas de conferências, exposições e sessões de formação em toda a Europa.
Saiba como pode participar

Saiba mais sobre Manutenção Segura

À segunda, também temos Segurança e Saude: A Avaliação dos Riscos

Outubro 11, 2010
A avaliação dos riscos é um dos principais pilares da directiva-quadro e de outras directivas em matéria de saúde e segurança no trabalho (SST). A avaliação de riscos constitui a primeira fase da abordagem de gestão dos riscos. Um primeiro passo para uma gestão sistemática da SST.

A cada três minutos e meio, morre uma pessoa na UE por causas relacionadas com o trabalho. Isto significa que morrem anualmente cerca de 167 000 pessoas na sequência de acidentes relacionados com o trabalho (7 500) ou de doenças profissionais (159 500).
A cada quatro segundos e meio, um trabalhador na UE tem um acidente que o força a permanecer em casa pelo menos três dias úteis. O número de acidentes de trabalho que resultam em três ou mais dias de ausência por doença é muito elevado, excedendo 7 milhões por ano.

Os custos deste cenário são elevadíssimos:

  • Custos humanos para os trabalhadores e as suas famílias (por detrás de cada estatística estão pessoas reais)
  • Custos económicos para as organizações/ empresas (ausência por doença, custos do seguro, produtividade, rotatividade e motivação do pessoal, competitividade, etc.)
  • Custos para a sociedade (que aumentam os encargos para os sistemas de saúde)

A avaliação dos riscos é um dos principais pilares da directiva-quadro e de outras directivas em matéria de saúde e segurança no trabalho (SST). Investir na sensibilização e na partilha de recursos, informações e boas práticas produz um claro valor acrescentado.

Uma abordagem de prevenção baseada na avaliação dos riscos é a pedra angular da abordagem europeia de SST. Há boas razões para isso. Se o processo de avaliação de riscos – início da abordagem de gestão dos riscos – não for correctamente executado, ou for pura e simplesmente omitido, é pouco provável que existam medidas preventivas apropriadas.

Com demasiada frequência, as organizações não avaliam adequadamente os riscos nos seus locais de trabalho. Essa avaliação pode ser difícil para algumas, sobretudo para as microempresas e as PME, mas não é obrigatório que assim seja.

A avaliação dos riscos faz parte de uma abordagem de boa gestão e existe legislação comunitária, nomeadamente a directiva-quadro, em vigor, juntamente com alguns recursos de orientação, informação e boas práticas.

É necessário adoptar uma abordagem integrada de gestão dos riscos que tenha em conta as diversas fases de avaliação dos riscos, as diferentes necessidades dos empregadores individuais e as transformações do mundo do trabalho.

A Agência concentrar-se-á na comunicação dos princípios gerais de avaliação integrada de riscos e da sua import-ncia para uma prevenção eficaz, transmitindo também que a avaliação dos riscos é simultaneamente necessária e exequível.

A avaliação de riscos constitui a primeira fase da abordagem de gestão dos riscos.
Um primeiro passo para uma gestão sistemática da SST.

Para mais informações, consulte:

Motivo de grande preocupação a nível europeu. Porquê?

A necessidade de melhorar a avaliação de riscos foi identificada na comunicação da Comissão sobre a aplicação prática da Directiva-quadro e das cinco directivas que dela derivam (COM(2004) 62 final).

A análise verificou que:

  • Existe um desconhecimento generalizado daquilo que é necessário para realizar uma avaliação de riscos, bem como da forma de a levar a cabo
  • A avaliação, documentação e controlo dos riscos ainda não é uma tarefa generalizada
  • A avaliação de riscos é frequentemente considerada uma acção pontual e falta-lhe continuidade
  • Os riscos não são analisados e avaliados colectivamente; em consequência, são tomadas medidas isoladas, não havendo uma abordagem integradora para a análise das condições no local de trabalho.
  • Quando se realizam avaliações de riscos superficiais, presta-se mais atenção à identificação de riscos óbvios e imediatos, sendo descurados os efeitos a longo prazo, como os causados por subst-ncias químicas.
  • Os riscos psicossociais e os factores ligados à organização do trabalho raramente são tomados em consideração na avaliação de riscos
  • As entidades patronais não supervisionam suficientemente a eficácia das medidas tomadas.

Desde que a gestão de riscos foi objecto de directivas comunitárias, existe um consenso claro sobre a necessidade de esta fazer parte de uma gestão integrada, que será promovida no -mbito da campanha.

Incentivos económicos no domínio da segurança e saúde no trabalho

Outubro 3, 2010

http://osha.europa.eu/pt/teaser/economic_incentives_pay_dividends_workplace_safety_health_01.15092010/image_mini

A investigação da EU-OSHA sugere que os regimes de incentivos económicos que induzem as empresas a investir na prevenção de riscos são uma opção rentável para os governos que procuram reduzir a incidência dos acidentes e doenças profissionais. Saiba como funcionam os incentivos económicos em diferentes países europeus e por que razão os melhores são tão eficazes.

A estratégia da União Europeia 2007-12 sobre segurança e saúde no trabalho (SST), reconhece que há necessidade de usar incentivos económicos para motivar as empresas a aplicar boas práticas no seu trabalho de prevenção. A Agência Europeia para a Segurança e a Saúde no Trabalho (EU-OSHA), contribui para responder a esta necessidade , fornecendo informações sobre os tipos de incentivos económicos que têm maior probabilidade de sucesso. A pesquisa mostrou que os incentivos económicos externos pode motivar novos investimentos em prevenção em todas as organizações e, assim, levar a menores taxas de acidentes.

O principal público-alvo são organizações que podem oferecer incentivos económicos para melhorar a SST , tais como companhias de seguros , os parceiros sociais e instituições governamentais. Estas organizações são consideradas como intermediários importantes para estimular novos esforços em matéria de SST nas suas empresas que colaboraram, por exemplo, como clientes de seguros. Portanto, uma rede de organizações, foi criado em forma de um grupo de peritos , que apoia o projecto com conselhos e ajuda a promover os resultados.

Relatório completo “Incentivos económicos para a melhoria da segurança e saúde no trabalho: análise à escala europeia”

Ficha técnica

Segurança no Trabalho

Setembro 5, 2010

Napo em:… Atenção à manutenção

Setembro 5, 2010