Archive for Março, 2011

A Musica

Março 31, 2011

O novo relatório «SST em números» foca o tema do transporte

Março 30, 2011

http://osha.europa.eu/en/sector/rail_air_water_transport/air-transport-helicopter/image_mini

O relatório ilustra os riscos profissionais enfrentados pelos trabalhadores do sector dos transportes e fornece uma panorâmica dos desenvolvimentos futuros previstos. Analisa estatísticas e estudos, e dirige-se tanto aos trabalhadores do sector como aos responsáveis políticos. Vários relatórios temáticos e específicos de cada país fornecem um quadro estatístico deste sector da indústria na Europa, bem como exemplos de boas práticas e de prevenção.

Leia o relatório (English)

Panorâmica do sector do transporte

Ao Levantar: As Flores (Lírios)

Março 29, 2011

https://i2.wp.com/www.fotoplatforma.pl/foto_galeria/3303_DSCN2871.jpg

Economia: Jorge Bateira, no Ladrões de Bicicletas

Março 29, 2011

Quem é que os vai derrubar?

“Este grupo de políticos tem em comum o entusiasmo que não consegue inspirar nos eleitores dos seus países respectivos. Não parecem acreditar com grande firmeza em qualquer conjunto coerente de princípios ou políticas. …

Beneficiários dos Estados-providência que põem em causa, eles são todos filhos de Thatcher: políticos que superintenderam ao recuo nas ambições dos seus antecessores …

Convencidos de que pouco podem fazer, pouco fazem. Deles o melhor que pode ser dito, como tantas vezes sucede com a geração baby boom, é que não defendem nada em particular: políticos light.

Já sem confiança em pessoas assim, perdemos a fé não só nos deputados e congressistas, mas no próprio parlamento e no congresso. Nessas alturas o instinto popular ou é ‘mandar os malandros para a rua’ ou então deixar que façam o pior. Nenhuma das reacções é promissora: não sabemos como mandá-los para a rua, e já não nos podemos dar ao luxo de deixá-los fazer o seu pior. Uma terceira reacção – ‘derrubar o sistema’ – é desacreditada pela sua inanidade intrínseca: que partes de que sistema, e a favor de que sistema substituto? De qualquer maneira, quem é que o vai derrubar?” (Tony Judt, Um tratado sobre os nossos actuais descontentamentos, Edições 70; p.133-4).

Se os partidos do chamado “arco da governação” – aqueles que até hoje nos desgovernaram ocupando a Administração do Estado para proveito próprio e dos amigos dos negócios – estão a preparar-se para um entendimento pós-eleitoral, para um «governo de pilhagem partilhada», então não podemos fugir à questão que preocupa Tony Judt: quem é que vai derrubar este sistema predador?

Para mim, a resposta é a formação de um movimento «Convergência e Alternativa» que se apresente às próximas eleições com uma política de relançamento do crescimento da economia, em alternativa à política depressiva dos PECs.

Em seminários de trabalho, eventualmente com o apoio de economistas estrangeiros a convidar, os economistas do PCP, do BE e independentes,(1) fariam um esforço de concretização de uma política económica exequível que, distribuindo com justiça os sacrifícios que forem inevitáveis, evite o desastre financeiro, económico e social que um «governo de pilhagem partilhada» nos vai apresentar como inevitável e merecedor da nossa resignação. Esse esforço de convergência deveria culminar com a candidatura unitária «Convergência e Alternativa».

Será pedir demasiado? No estado em que nos encontramos, fazer este esforço de convergência é um imperativo moral. A última palavra pertence ao PCP e ao BE já que independentes não faltam para dar um contributo desinteressado. A começar por mim.

(1) E os militantes do PS desiludidos com a sua actual orientação.

Ao Alvorecer: Bicicletas

Março 29, 2011

https://bemcomum.files.wordpress.com/2011/03/29.jpg?w=300

Quase de Manhã: Relógios

Março 29, 2011

https://bemcomum.files.wordpress.com/2011/03/sany0532.jpg?w=225

Pela Noite Dentro: Araçá

Março 29, 2011

https://i0.wp.com/upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/4/4f/Ara%C3%A7%C3%A1.jpg/220px-Ara%C3%A7%C3%A1.jpg

 

Pequena árvore não pioneira, com altura máxima de 9 m e copa rala. Perenifólia, vive em ambientes úmidos e iluminados, não sendo encontrada no interior da mata primária.

Flor

O tronco tortuoso tem casca lisa que descama em placas finas. As folhas são coriáceas e glabras, com até 10 cm de comprimento. As flores são axilares, solitárias, brancas. Floresce de junho a dezembro. Os frutos amadurecem de setembro a março.

Os frutos são bagas arredondadas, verdes ou amarelados (há variedades vermelhas), coroados pelo cálice persistente, de polpa suculenta esbranquiçada, semelhante a uma goiaba pequena e de sabor mais azedo.

Frutos de araçá.

As sementes são dispersadas por animais, principalmente pássaros.

Ocorrência

É encontrada na Mata Atlântica, em especial na floresta ombrófila densa e de restinga (como por exemplo no município de Ilha Comprida no litoral de São Paulo), e no Planalto Meridional.

Ocorre desde a Bahia até o Rio Grande do Sul.

Ramo com frutos.

É bastante cultivada em pomares domésticos, principalmente na região sul.

Cultivares

  • Araçá-vermelho: forma típica da espécie, árvore de porte médio e frutos com menos de 20 g;
  • Araçá “Ya-ci”: selecionado no Rio Grande do Sul, frutos que podem chegar a 40 g, rico em vitamina C.[3]

Por Terras da Maia (S. Pedro de Avioso)

Março 29, 2011

São Pedro de Avioso é uma freguesia portuguesa do concelho da Maia, com 4,85 km² de área e 2 629 habitantes (2001). Densidade: 542,1 hab/km². Em conjunto com as freguesias de Barca, Gemunde, Gondim e Santa Maria de Avioso, constitui a vila de Castêlo da Maia.

São Pedro de Avioso, a Freguesia mais setentrional do Concelho da Maia, confina com as suas congéneres Gemunde, a Ocidente e a Sul; Santa Maria de Avioso, a Nascente; e com os Concelhos de Vila do Conde e Trofa, a Norte.

Publicidade!

Março 29, 2011

https://i2.wp.com/farm1.static.flickr.com/201/490159853_70651d0edf.jpg

Para Hoje!

Março 28, 2011

https://i2.wp.com/static.photaki.com/jardins-palacio-de-villandry-franca_105107.jpg

Mais à Noite: Musica Liturgica

Março 28, 2011

Musica

Março 28, 2011

Ainda à Noite, Poesia Portuguesa: Florbela Espanca

Março 28, 2011

Soneto VII


São mortos os que nunca acreditaram
Que esta vida é somente uma passagem,
Um atalho sombrio, uma paisagem
Onde os nossos sentidos se poisaram.

São mortos os que nunca alevantaram
De entre escombros a Torre de Menagem
Dos seus sonhos de orgulho e de coragem,
E os que não riram e os que não choraram.

Que Deus faça de mim, quando eu morrer,
Quando eu partir para o País da Luz,
A sombra calma de um entardecer,

Tombando, em doces pregas de mortalha,
Sobre o teu corpo heróico, posto em cruz,
Na solidão dum campo de batalha!

Florbela Espanca

À Noite: Coros Litúrgicos

Março 28, 2011

Ao Lanche: JAZZ

Março 28, 2011

Joalharia Portuguesa

Março 28, 2011

https://bemcomum.files.wordpress.com/2011/03/anelgrace.jpg?w=300

Escultura

Março 28, 2011

https://i1.wp.com/www.spectrumgothic.com.br/images/gothic/escultura_gotica02.jpg

Depois do Meio Dia: portugal fashion 2011

Março 28, 2011

https://i2.wp.com/farm3.static.flickr.com/2094/2032078402_ddeefd77af.jpg

Depois do Meio Dia: Moda Inglesa

Março 28, 2011

https://i0.wp.com/imagesfb.s3.amazonaws.com/files/2011/03/riachuelo-outono-inverno-2011-02.jpg

Depois do Meio Dia: Moda Francesa

Março 28, 2011

https://lh5.googleusercontent.com/-kbrYTSbvhJk/TW6CKOe2OPI/AAAAAAAAMUk/4kyULqVNQgA/s1600/maricarla-hakaan1-a.jpg