Archive for Agosto, 2009

Alberto Monteiro candidato do PS a Gueifães.

Agosto 31, 2009

 

Confirma-se Alberto Monteiro é o candidato do PS à Junta de Freguesia de Gueifães.

Coisas curiosas no “terrorismo político” do grupo de Hélder Ribeiro

Agosto 31, 2009

1.º – Existe um blogue, republicano/monárquico que tem razão de ser. Além disso aquilo que não se pode dizer no blogue da Secção de Gueifães do PS, diz-se no Catassol, ou melhor, no blogue oficioso do Partido Catarinista!

2.º – O Comité Central do Partido Catarinista, dado que se centra da defesa do centralismo democrático, deliberou que dos blogues ocupados ilegalmente como os das Candidaturas do PS a Vila Nova da Telha e Moreira, saíssem os links que davam acesso à Canditatura do PS à Câmara Municipal da Maia e Assembleia Municipal da Maia!

3.º – Que o blogue Catassol os retire é lá com eles, mesmo sendo todos militantes, e dos bons, sim?, do PS, estamos nesta a brincar às eleições, no sentido do Partido Catarinista poder apresentar Hélder Ribeiro a Presidente da Comissão Política do PS da Maia, aliás como Joaquim Jorge, elemento afamado por ter apoiado Jorge Catarino nas anteriores eleições, por ter-se demitido de militante do PS, por ser do Conselho do candidato do PSD à Câmara de Matosinhos, por uma derrota acincalhante dos actuais candidatos do PS;

4.- O blogue Catassol merece estas porque a ética passou a correr por eles, se eles vissem os comentários que o Bem Comum possui a seu respeito, e que não publicou, nem publicará, ficariam a saber o que é a ética republicana, ser socialista e de esquerda.

OS ORGÃOS DO PS DA MAIA ANDAM A DORMIR A UM MÊS DE ELEIÇÕES, PORQUE JÁ NÃO ACTUARAM CONTRA ESTE “TERRORISMO POLÍTICO”? NÃO TENHAM MEDO DE QUEM SE SUPORTA DE OUTRAS ORGANIZAÇÕES QUE NÃO POLÍTICAS, PARA OS SEUS INTERESSES PESSOAIS!

A Água e a Religião

Agosto 28, 2009

https://i2.wp.com/www.aepsa.pt/content/news/agua.jpg

A água é símbolo de pureza e fonte de vida, tendo por isso um papel central em várias religiões como o Cristianismo, o Islamismo, o Judaísmo e o Hinduísmo. As limpezas com água são um factor comum, mas cada religião tem as suas particularidades no que toca à utilização da água.

 

Leia AQUI um artigo interessante sobre este tema.

O que ainda não se disse sobre Hélder Ribeiro

Agosto 21, 2009

Em todos os meios de comunicação, incluindo os blogues, se fala num acordão da Comissão de Jurisdição do Porto do PS, sobre a questão de Gueifães, mas omite-se uma parte, e não se percebe bem como joga com a que se sabe, pois aí vai ela:

” Quanto à responsabilidade disciplinar:

É dever de todo o militante, desempenhar com zelo e lealdade para com o Partido os cargos para que tenha sido eleito interna ou externamente, conforme dispõe a alinea b) do n.º 1, do Art.º 15 dos Estatutos do Partido Socialista. O dever de zelo e lealdade, compreende nesta disposição um alcance maior do que a comum configuração destes conceitos, porque estamos perante um Partido Político, com enormes responsabilidades na condução dos destinos do país e cuja a imagem de seriedade, harmonia e ponderação tem de ser preservada. Os acontecimentos do dia 11 de Julhoi de 2009, tendo como protagonistas principais os dois mais importantes responsáveis políticos da Secção de Gueifães, constituem actos de grande insensatez pelo mau exemplo dado aos militantes e simpatizantes do Partido Socialista da Maia e ao eleitorado em geral, uma vez que não se coibiram de prosseguir as suas desinteligências, insultos e ameaças na via pública, dando uma imagem deplorável do Partido Socialista, com isso causando inegável prejuizo eleitoral.

As condutas são agravadas, nos termos do disposto na alínea f) do n.1 do artigo 18º do Regulamento disciplinar, podendo vir a ser atenuadas em face da antiga militância dos intervenientes, nos termos da alínea a) do Artigo 19º do mesmo regulamento.

Nesta conformidade, decide-se prosseguir disciplinarmente contra Hélder da Costa Pereira Ribeiro e Francisco Rodrigues Cunha, acusando-os da prática de actos ofensivos da imagem do Partido Socialista, violação do dever de zelo e lealdade no exercício de cargo político, desrespeito pelos estatutos do Partido Socialista, designadamente ao impedir o regular funcionamento de órgão político como era o caso da Assembleia-geral de militantes de 11 de Julho supra referida, e no que diz respeito ao camarada Hélder Ribeiro, por ignorar deliberadamente a orientação política emanada da direcção nacional do PS, no sentido de criar condições para a recandidatura dos autarcas actualmente em exercício. Este, enquanto Secretário – coordenador da Secção de Gueifães, tem, nos termos do n.º 1 do Artigo 35º dos estatutos do PS, a responsabilidade de executar a linha política do Partido, definida pelos órgãos competentes, desde logo e em primeiro lugar, as orientações da direcção nacional e do secretário-geral do PS. Durante as diligências instrutórias não foi possivel vislumbrar nenhum esforço sério para dar seguimento à orientação definida pela direcção nacional no que toca às candidaturas autárquicas. Ainda no que toca a Hélder Ribeiro, a sua conduta violou o disposto no n.º 7 do Artigo 35º dos Estatutos do Partido Socialista, ao tentar impedir a participação do Presidente da Comissão Política Concelhia na frustrada Assembleia de 11 de Julho, participação a que este tinha direito por força dos estatutos, reforçada pelo convite que lhe havia sido dirigido pelo Presidente da Mesa”

…..

“Notifiquem-se os Camaradas Hélder da Costa Pereira Ribeiro e Francisco Rodrigues da Cunha para efeitos do Artigo 33.º do Regulamento Disciplinar”

2 de Agosto de 2009

Susana Pinheiro apresenta candidatura a Milheirós amanhã

Agosto 20, 2009

SUSANA PINHEIRO - CONVITES CANDIDATURA1

Gueifães: Alberto Monteiro é o candidato

Agosto 17, 2009

Alberto Monteiro é o candidato do PS à Junta de Freguesia de Gueifães, existindo pessoas, que por questões inarráveis, consideram-se portadores duma verdade e de uma legalidade não democrática, que não têm, não possuem, e só têm a força do Senhor da Maia!

Para já no Secretariado da Secção de Gueifães existe a primeira baixa: demitiu-se Carla Dias, foi a tempo de verificar o carnaval que alguns querem fazer, à custa de golpes e mais golpes, apanágio de quem muito bem sabemos é perito.

Agora é pegar na campanha e deixar que aqueles, a soldo da sua própria angústia, queiram pensar bem e não andarem a denegrir o PS, o Partido que lhes deu algum ser.

Entregues todas as listas do PS à Maia

Agosto 17, 2009

Foram entregues em tribunal todas as listas às autárquicas da Maia, concorrendo o PS a todas as Juntas de Freguesia.

 

Os comentários caluniosos

Agosto 15, 2009

Os comentários caluniosos que tenho sido vítima ultimamente e que não têm sido publicados, serão entregues na Polícia Judiciária como fazendo parte do processo que corre há mais de dois anos.

Esta Polícia está a agir correctamente tendo mesmo neste momento já nomes e moradas de algumas pessoas, no entanto tudo está ainda em segredo de justiça.

Pinho Gonçalves: apoio do PSD e do BE, Junta de Vila Nova da Telha

Agosto 14, 2009

Pinho Gonçalves não é, nem nunca foi independente, ele é uma vítima do Partido Catarinista.

1.- Quando Pinho Gonçalves concorreu pelo PS, ganhou!

2.- Depois o Partido Catarinista retirou-lhe apoio, o Senhor da Maia chegou a dizer quando era o chefe, que só por cima do seu cadáver ele seria candidato, há testemunhas!, ele concorreu com uma candidatura independente e ganhou. Nessa altura a visão de Vieira de Carvalho ditou que o PSD não concorreria a Vila Nova da Telha e apoiou Pinho Gonçalves (eu sei porque estive nas negociações!);

3.- Depois Pinho Gonçalves concorreu novamente numa candidatura independente, dado que o Partido Catarinista vetou o seu nome, no mesmo ano em que vetou o meu para a Assembleia Municipal. E Pinho Gonçalves com todos os partidos a concorrer ganhou, ficando a 100 votos da maioria absoluta; fez um acordo pós-eleitoral com os socialistas eleitos para a Junta, a quem foi retirada a confiança política por Jorge Catarino (filho);

4.- Pinho Gonçalves sempre foi socialista, teve de entregar o cartão para concorrer como independente, a sua filha foi candidata a uma câmara, a sua família é constituida por militantes socialistas;

5.- Este ano Pinho Gonçalves só não está a concorrer pelo PS porque os dirigentes do PS atrasaram-se no diálogo com ele, está reconhecido por ambas as partes que foi assim;

6.- QUE CULPA TEM PINHO GONÇALVES QUE O PODER DO PSD NÃO QUEIRA PERDER EM VILA NOVA DA TELHA E LHE DÊ APOIO? É UMA QUESTÃO POLÍTICA!

7.- QUE CULPA TEM PINHO GONÇALVES QUE O BLOCO DE ESQUERDA LHE TENHA DADO O SEU APOIO?

8.- QUE CULPA TEM PINHO GONÇALVES QUE O PS NÃO O QUEIRA, E APRESENTE UM DESCONHECIDO NA FREGUESIA A CANDIDATO?

O PS VAI SER HUMILHADO EM VILA NOVA DA TELHA, MAIS QUE NAS ÚLTIMAS ELEIÇÕES, POR CULPA SÓ E SÓ, DO PARTIDO CATARINISTA, NÃO DO PARTIDO SOCIALISTA DA MAIA.

Night Series (Óbidos)

Agosto 14, 2009

Vodpod videos no longer available.

more about “Night Series (Óbidos)“, posted with vodpod

Gripe A – cuidados

Agosto 13, 2009

Gripe A – Veja

Agosto 13, 2009

Discurso proferido por Helder Ribeiro, em 22/11/2008, dá como certo Alberto Monteiro candidato a Gueifães

Agosto 11, 2009

A Secção de Gueifães do PS convidou os militantes e simpatizantes a participar, no passado sábado, 22 de Novembro, numa Missa na Igreja Paroquial de Gueifães, por intenção de todos os militantes falecidos e seus familiares.

Seguiu-se um Jantar de Confraternização que teve como convidado de honra o Presidente da Comissão Política Concelhia, Dr. Mário Gouveia, e o Secretário Coordenador de Águas Santas, António Teixeira, recém-empossado Presidente da Junta de Freguesia de Águas Santas. Marcaram também presença o Presidente da Junta de Gueifães, Alberto Monteiro, e todos os camaradas que o acompanham no executivo da autarquia, o Coordenador Concelhio da JS, João Torres, o Coordenador do Núcleo da JS do Vale do Leça, Rui Moreira, o Deputado Municipal, Dr. Hugo Campos bem como cerca de 40 militantes da Secção.

O líder da estrutura de Gueifães, Dr. Hélder Ribeiro, aproveitou o ensejo para anunciar oficialmente que o Camarada António Alberto dos Anjos Monteiro tinha aceite o convite que ele próprio e o seu Secretariado lhe dirigiram e seria, como tudo leva a crer, o candidato do PS à Junta de Freguesia de Gueifães nas autárquicas de 2009.

Referiu ainda que, por força da Lei, o próximo mandato deverá ser o último seguido que Alberto Monteiro poderá exercer à frente da freguesia a que tem dedicado grande parte da sua vida, pelo que esse deve ser um estímulo mais para ganhar e preparar o futuro, ao qual com certeza os Gueifanenses não ficarão indiferentes.

As listas do PS às autárquicas e os Sr. Helder Ribeiro/Senhor da Maia

Agosto 11, 2009

Estou em condições de desmentir que o atraso da entrega das listas do PS às autarquias da Maia, tenham alguma coisa a vêr com o Sr. Helder Ribeiro, e o seu padrinho Senhor da Maia.

Trata-se, unicamente, da ausência do mandatário do PS na Maia, que, por urgência, teve de sair da Maia.

O Sr. Helder Ribeiro há-de saber, como o Senhor da Maia sabe, que o caso de Gueifães, foi resolvido pelas mais altas instâncias do PS, que, certamente, tiveram em consideração o convite que o Sr. Hélder Ribeiro e todo o Secretariado da Secção fez a Alberto Monteiro, como se pode ver no blogue da Secção de Gueifães do PS.

NÃO TENHAM ILUSÕES O QUE FOI DECIDIDO, DECIDIDO ESTÁ!

Uma escolha decisiva

Agosto 11, 2009

Transcrevemos a seguir excertos do artigo de opinião publicado no Jornal de Notícias de Hoje, da autoria do Secretário Geral do Partido Socialista José Sócrates. Se quiser ler o artigo integralmente poderá fazê-lo quer na edição impressa daquele Jornnal, quer na sua página electrónica.

“O Partido Socialista, cumprindo com seriedade e sentido das responsabilidades o seu dever democrático, apresentou já, publicamente, o seu programa eleitoral. (…)

Dirigimos o foco da nossa atenção, claramente, para as urgências do tempo presente: superar a crise que veio de fora, relançar a economia e promover o emprego. Mas apontamos, também, o caminho do futuro – de que não podemos desistir – para uma economia mais forte e competitiva: prosseguir o movimento de modernização da economia e do Estado, reforçar as qualificações, continuar a reduzir a dependência energética, valorizar as exportações. A mobilização de vontades e energias nacionais em torno de um Pacto para a Internacionalização das Pequenas e Médias Empresas e de um Pacto para o Emprego estruturam as nossas propostas de ambição renovada para a economia portuguesa. Paralelamente, propomos novas medidas concretas para prosseguir o reforço das políticas sociais e a qualificação dos serviços públicos, de modo a ir mais longe no combate à pobreza e às desigualdades, proporcionando mais oportunidades para todos.

A pouco mais de um mês das eleições legislativas, o contraste não poderia ser maior. O PS, como lhe compete, apresenta os resultados de quatro anos de reformas que, apesar de todas as dificuldades, permitiram pôr as contas públicas em ordem, retirar a segurança social da situação de alto risco, modernizar e simplificar a administração pública, generalizar o acesso às novas tecnologias de informação, levar a economia portuguesa a uma balança tecnológica positiva, colocar Portugal na dianteira nas energias renováveis, reduzir o abandono e o insucesso escolar, desenvolver o ensino profissional, melhorar os cuidados prestados pelo Serviço Nacional de Saúde e concretizar toda uma nova geração de políticas sociais, que reduziu a pobreza e as desigualdades, aumentou o salário mínimo e reforçou em muito o apoio às famílias. Mas, ao mesmo tempo que apresenta resultados, o PS mostra, uma vez mais, iniciativa e determinação, apresentando um programa de novas propostas para responder à crise internacional e preparar o futuro do País. (…)

Nas próximas eleições legislativas, de 27 de Setembro, os portugueses serão chamados a fazer uma escolha política decisiva. E, do meu ponto de vista, essa escolha envolve três opções fundamentais, que gostaria aqui de explicitar de forma a clarificar o que, no essencial, está em jogo.

Em primeiro lugar, trata-se de escolher uma atitude na governação. Como é manifesto, a atitude que tem marcado o discurso da direita é dominada pelo pessimismo, pela amargura e pela resignação. Bem vistas as coisas, a direita só fala do futuro para dizer que tem medo do dia de amanhã. Medo: não apela ao melhor mas ao pior de nós. A sua mensagem é triste e miserabilista. Não adianta fazer nada a não ser esperar pacientemente por melhores dias. (…)

É por isso que digo aos portugueses que há aqui uma opção importante a fazer. E digo mais: a atitude de pessimismo, de resignação e de paralisia que marca o discurso da direita não serve os interesses do País. O que os tempos exigem é uma outra atitude na governação: uma atitude de confiança, de determinação e de iniciativa para vencer as dificuldades do presente, prosseguir o movimento de modernização e preparar o futuro País.

Em segundo lugar, há uma escolha política a fazer sobre o investimento público. A questão é esta: num contexto de crise económica global e de consequente quebra das exportações, de falta de confiança e adiamento de projectos por parte dos investidores privados, de dificuldades no acesso ao crédito, de menor procura pelos consumidores, que factor pode contribuir para relançar a economia, salvar muitas empresas e promover o emprego? Desde a célebre Grande Depressão, que se seguiu à crise de 1929, todos os economistas que resistem à cegueira ideológica sabem a resposta: o investimento público. Por isso, a generalidade dos países europeus e das economias desenvolvidas, incluindo os Estados Unidos da América de Obama, decidiram enfrentar a crise lançando programas de reforço do investimento público. Foi o que fizemos aqui também, com investimentos selectivos e destinados a impulsionar a modernização do País, de num modo geral antecipando apenas o calendário de projectos já anteriormente decididos e privilegiando os investimentos de mais rápida execução: modernização das escolas, equipamentos sociais e de saúde, energia, redes de nova geração. (…)  A proposta do PS é, por isso, continuar a apostar no investimento público como instrumento fundamental de combate à crise mas também de modernização do País.

Em terceiro lugar, há uma escolha crucial a fazer sobre o futuro das políticas sociais – e também aí as opções são claras, separando nitidamente a direita e o PS. A direita insiste no recuo do Estado Social, para a condição de Estado mínimo ou, como dizem agora, Estado “imprescindível”. Nada que não tenhamos já visto antes: lembramo-nos bem de que estes mesmos protagonistas foram responsáveis por um forte desinvestimento nas políticas sociais quando estavam no Governo. Mas, tendo em conta as propostas apresentadas pela direita ao longo desta legislatura, a ambição que agora se desenha é outra: privatização parcial da segurança social, fim da tendencial gratuitidade do Serviço Nacional de Saúde e pagamento dos próprios serviços de saúde pelas classes médias, privatização de serviços públicos fora das áreas de soberania. A proposta do PS, por seu turno, é bem diferente: reforço das políticas sociais, qualificação e modernização dos serviços públicos, investimento no combate à pobreza e na redução das desigualdades. E os portugueses sabem que esta proposta do PS dá seguimento aquela que foi a sua prática no Governo: criámos o complemento solidário que já beneficia mais de 200 mil idosos, criámos a rede de cuidados continuados, reforçámos o investimento nos equipamentos sociais, criámos o abono pré-natal, aumentámos o abono de família, alargámos a acção social escolar, aumentámos o salário mínimo.

Para a próxima legislatura, propomo-nos reforçar ainda mais as políticas sociais, de modo a enfrentar os novos desafios do Estado Social.

Primeiro, o apoio à natalidade, à infância e à família: somaremos às medidas em curso a nova Conta Poupança Futuro, em que o Estado deposita 200 Euros, por ocasião do nascimento de qualquer criança, e concede benefícios fiscais para incentivar a poupança, sendo que o saldo poderá depois ser utilizado pelo jovem para financiar os seus estudos ou projectos profissionais.

Segundo, o combate à pobreza e às desigualdades: criaremos um novo mecanismo de ajuda ao rendimento das famílias trabalhadoras com filhos a cargo e das pessoas com deficiência, em termos semelhantes ao Complemento Solidário para Idosos, de forma a garantir um rendimento acima do limiar da pobreza.

Terceiro, o apoio à qualificação e inserção profissional dos jovens: apoiaremos a escolaridade até ao 12º ano através da nova bolsa de estudos para estudantes do ensino secundário e criaremos novos programas INOV, incluindo o INOV-Social, bem como um programa especial de cinco mil estágios na administração pública. Quarto, a qualificação do Serviço Nacional de Saúde: anteciparemos para 2013 as metas de expansão da rede de cuidados continuados para idosos e dependentes previstas para 2016 e alargaremos a todo o território nacional a experiência de sucesso das Unidades de Saúde Familiar, de modo a prosseguir o objectivo de garantir a todos os portugueses o acesso a médico de família. (…)

E que não haja ilusões: para Portugal, a alternativa real é entre o PS ser chamado de novo a formar Governo ou regressar a um Governo de direita. Por isso, os que querem um PS fraco e vencido, digam o que disserem, preferem de facto a direita no poder. Mas nesta escolha decisiva que está diante dos portugueses, o PS está, creio, do lado certo, que é também o lado da acção e do futuro: propõe uma atitude de iniciativa, preconiza o investimento público para a modernização do País e defende o Estado Social para reduzir as desigualdades e promover oportunidades para todos. (…)

 

Nós não somos daquela esquerda que se limita a protestar, dispensando-se da maçada de contribuir para a solução de qualquer problema. (…)”

DOIS MIL POSTS

Agosto 10, 2009

Com mais de 200 000 visitantes, a uma média de 300 visitas dias, este é o 200.º.

OBRIGADO A TODOS OS LEITORES E LEITORAS!

“Façam o favor de ser felizes”

Agosto 9, 2009

Raúl Solnado

1929 – 2009

Resolvida a questão de Gueifães

Agosto 7, 2009

Quando, na terça-feira, o mandatário das candidatura do PS da Maia entregar as listas no tribunal, o nome que vai encabeçar a lista do Partido à freguesia de Gueifães será o do actual presidente, Alberto Monteiro.

A decisão da recandidatura foi assumida na noite de quarta-feira, pela Federação Distrital do Porto do PS, na sequência de uma reunião com o secretariado da comissão política da concelhia maiata, e vem no sentido daquela que foi a orientação do Partido que todos os actuais presidentes de câmara e de juntas só não seriam reconduzidos se essa fosse a sua vontade. Neste caso concreto Alberto Monteiro sempre manifestou disponibilidade e vontade de encabeçar a lista do PS à freguesia que lidera há vários mandatos.

O Presidente da Comissão Política Concelhia da Maia màrio Gouveia, acrescentou em entravista dada ao Primeira Mão que “era também a nossa vontade. Alberto Monteiro será o cabeça de lista à Junta de Freguesia de Gueifães e a lista que ele indicar será apresentada no tribunal na próxima terça-feira”.

Aos que diziam ouvir o chamamento do povo e usavam esse argumento para todo o tipo de atropelos na tentativa de contrair aquela que foi a orientação do partido, resta agora a alternativa de uma candidatura independente.

Alberto Monteiro candidato do PS à Junta de Freguesia de Gueifães

Agosto 6, 2009

Embora de férias, interrompo para anunciar que o real e de facto candidato, e que vai ganhar, à JUNTA DE FREGUESIA DE GUEIFÃES é

ALBERTO MONTEIRO

O RESTO SÃO ARRUAÇAS!