Archive for Fevereiro, 2009

crise do crédito

Fevereiro 27, 2009

https://i0.wp.com/ec.europa.eu/news/images/economy/090225_1.jpg

Peritos europeus recomendam maior controlo para evitar repetição da crise financeira.

Um grupo de peritos financeiros apresentou 18 recomendações detalhadas para reforçar a supervisão das instituições e dos mercados financeiros da UE.

As recomendações incluem nomeadamente a elaboração de regras comuns para fundos de investimento em todos os 27 Estados-Membros, a redução dos bónus dos gestores bancários de acordo com os interesses dos accionistas e a criação de um sistema de gestão da crise para o sector financeiro da UE.

Leia aqui as RECOMENDAÇÕES

Anúncios

A 8ª Reunião Regional Europeia da OIT

Fevereiro 26, 2009

https://i1.wp.com/www.ilo.org/public/portugue/region/eurpro/lisbon/images/wcms_101725.jpg

A 8ª Reunião Regional Europeia da OIT, que envolveu os Ministros responsáveis pelas pastas do trabalho e do emprego, bem como os representantes de organizações patronais e de trabalhadores de todos os 51 Estados-membros da OIT da Região Europa e Ásia Central, terminou os seus trabalhos, no passado dia 13 de Fevereiro de 2009, com um apelo para que se desenvolvam esforços coordenados para a manutenção do emprego e a recuperação do crescimento económico “na crise económica mais grave dos últimos 60 anos que afecta a Europa”.

Leia AQUI as conclusões da reunião (ainda em inglês).

Em Quarta – Feira de Cinzas

Fevereiro 25, 2009


A QUARTA –FEIRA DE CINZAS

A bênção e a imposição das Cinzas são uma prática penitencial muito antiga: nos primeiros séculos da Igreja, os cristãos, que haviam prejudicado a comunidade cristã com escândalos públicos, expiavam-nos durante a Quaresma. Eles recebiam as cinzas sobre as suas cabeças, em sinal de humildade, e, a seguir eram acompanhados à porta da Igreja. Até Quinta – Feira Santa não participavam nas assembleias da comunidade, mas permaneciam no átrio, em sinal de penitência. Em Roma era prática comum que no primeiro dia da Quaresma os penitentes fossem salpicados de cinzas, vestidos de saial e obrigados a manter-se longe até à reconciliação com a Igreja em Quinta – Feira Santa. Hoje na Igreja, na Quarta – Feira de Cinzas, o cristão recebe uma cruz na fronte com as cinzas obtidas da queima das palmas usadas no Domingo de Ramos do ano anterior, nesta simbólica quer a Igreja que reconheçamos a nossa condição de pecadores e nos disponhamos a aceitar a conversão. É também um convite ao jejum, para que renunciando a uma parte importante do alimento, se exprima solidariedade com tantas pessoas privadas de alimento, de meios económicos, de bens culturais e de possibilidade de progresso.

Nova publicação do Boletim Informativo Saúde – EU

Fevereiro 24, 2009

https://i0.wp.com/ec.europa.eu/health-eu/images/informative/news30_pubs.jpg

Saúde em linha – boas práticas em países europeus

Os serviços de saúde em linha são não apenas úteis como também sustentáveis.

 

(em inglês)

BEM COMUM apoia Elisa Ferreira, à Câmara do Porto

Fevereiro 24, 2009

https://i2.wp.com/3.bp.blogspot.com/_xJGhQe034LE/SZx53qNy81I/AAAAAAAAADo/aTZmYDdai9I/s320/Elisa+Ferreira.jpg

A PSP de Braga apreende livro de pintura

Fevereiro 24, 2009

https://i2.wp.com/2.bp.blogspot.com/_22ruQTJSdx4/SaO_fLcsD3I/AAAAAAAADEM/uJZSupIPSac/s200/Gustave+Courbet.jpg

E AQUI ESTÁ ELE!

NÃO À CENSURA!

Vive numa cidade verde?

Fevereiro 23, 2009

https://i2.wp.com/especiais.bomdiabrasil.globo.com/files/346/2008/12/bicicleta.jpg

Com 74% da população europeia a viver actualmente em cidades com mais de 5000 habitantes, a necessidade de um desenvolvimento urbano ecológico e sustentável nunca foi tão grande.

A UE procura incentivar essa evolução concedendo o Prémio da Capital Verde Europeia. A atribuição do título de “Capital Verde Europeia” por um período de um ano destina-se a promover um tipo de vida urbano que não seja prejudicial para o ambiente e a reconhecer os esforços envidados pelas autoridades locais para resolver problemas ambientais.

Estocolmo e Hamburgo foram designadas as primeiras “capitais verdes”. A capital sueca será a Capital Verde Europeia em 2010, sucedendo-lhe a cidade de Hamburgo em 2011.

O júri ficou especialmente impressionado com o vasto programa da cidade de Estocolmo destinado a melhorar a qualidade de vida através da depuração das águas, da redução da poluição sonora, de um sistema integrado de tratamento de resíduos, de um sistema de aplicação de taxas para combater o congestionamento do trânsito e da criação de áreas de recreio, nomeadamente de praias.

Por sua vez, Hamburgo, uma cidade com 1 800 000 habitantes e com uma excelente qualidade do ar, recebeu essa distinção graças às medidas de poupança de energia adoptadas pela cidade.

E em Portugal quando é que teremos uma “Capital Verde Europeia”?

Alargamento da Europa

Fevereiro 22, 2009

https://i0.wp.com/ec.europa.eu/news/images/economy/090220_1.jpg

No último alargamento, doze países da Europa Central e Oriental e do Mediterrâneo aderiram à UE em duas vagas – dez em 2004 (Chipre, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Malta, Polónia e República Checa) e dois em 2007 (Bulgária e Roménia).

Tratou-se do maior alargamento de sempre da UE, que constituiu um marco histórico na unificação da Europa, após décadas de divisão ditadas pela lógica da guerra fria.

Apesar da preocupação expressa por alguns dos antigos Estados-Membros quanto ao impacto económico e social da adesão dos novos países, cinco anos depois, um estudo da Comissão revela que esses receios eram infundados e que o alargamento foi benéfico para todos.

O alargamento permitiu melhorar significativamente o nível de vida, modernizar as economias e estabilizar as instituições e a legislação dos novos países membros. Criou também novas oportunidades de investimento e de exportação para as empresas dos antigos Estados-Membros. Todos os países beneficiaram da intensificação do comércio e a UE tornou-se mais competitiva.

O rápido ritmo de integração dos novos países membros incentivou o crescimento, embora tenha dado azo, em alguns casos, a vulnerabilidades que se acentuaram com a actual recessão mundial. Mas a UE tem condições para reagir à crise. O pacto de estabilidade e crescimento e a estratégia para o crescimento e o emprego contribuem para promover o equilíbrio das finanças públicas e a realização de reformas estruturais. Além disso, a UE concede apoio financeiro através dos fundos estruturais e de coesão, do Banco Europeu de Investimento e do mecanismo de apoio às balanças de pagamentos.

Quanto ao futuro, a Comissão observa que o abrandamento da economia pode criar oportunidades para levar a cabo uma série de reformas profundas, capazes de fomentar o crescimento e consideradas essenciais para reforçar o processo de integração, reduzir as disparidades existentes entre os rendimentos, assegurar um papel de destaque à UE na economia mundial e permitir a entrada de novos países membros.

Relatório: Cinco anos depois do alargamento da UE – Resultados e desafios económicos

No caminho de Paulo de Tarso

Fevereiro 22, 2009

PAULO: O PRISIONEIRO

Paulo teria por volta dos 52 anos, quando foi preso, na Praça do Templo. Em Cesareia esteve preso dois anos (Actos, 24,27) e em Roma também dois anos (Actos 28,30). Libertado durante 6 anos, foi novamente preso, até à sua morte, com 62 anos de idade. Quando esteve em liberdade passou por diversas comunidades, como Éfeso, e procurou organizá-las. É que as comunidades por ele fundadas muitas ideias e práticas novas, teorias estranhas e diferentes religiões assediavam os cristãos. Paulo reagiu como com “Cartas Pastorais” conservadoras, como as 1.ª e 2.ª a Timóteo e a Tito. Paulo com a sua forma de estar na vida respondia aos problemas concretos, procurava cortar o mal pela raiz, mas naquelas cartas haveria de ser mais contido. Depois da sua terceira viagem Paulo vai ao Templo, onde é preso pela guarda romana, e assim escapou de ser morto. Escreve cartas, as “cartas do cativeiro”, onde se revela diferente e mais humano. Paulo teria 62 anos quando morre.

OIT disponibiliza o seu último Relatório sobre tendências mundiais de emprego 2009

Fevereiro 19, 2009

https://i1.wp.com/www.ilo.org/public/portugue/region/eurpro/lisbon/images/wcms_101456.jpg

Leia aqui o RELATÓRIO

Apresentações do Seminário “Promover a Qualidade através da Segurança e Saúde no Trabalho”

Fevereiro 19, 2009

https://i0.wp.com/www.act.gov.pt/imagens/logo_3.jpg

Se não assistiu ao Seminário “Promover a Qualidade através da Segurança e Saúde no Trabalho”, levado a cabo pela ACT, veja aqui os suportes visuais das comunicações apresentadas no seminário.

 

Indicadores de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho: apresentação dos resultados 2002-2007

          Lourdes Pisco, Directora de Serviços do Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social [APRESENTAÇÃO]

Apresentação do novo modelo de Relatório de Actividades de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho: procedimentos para o futuro

          José Manuel Santos, Director de Serviços de Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho da Autoridade para as Condições do Trabalho [APRESENTAÇÃO]

          Mariana Neto, Divisão de Saúde no Ciclo de Vida e em Ambientes Específicos, Direcção-Geral da Saúde [APRESENTAÇÃO]

Já conhece a comunidade virtual de escolas?

Fevereiro 17, 2009

https://i2.wp.com/ec.europa.eu/news/images/culture/090213_1.jpg

Um projecto lançado há quatro anos para promover a colaboração entre escolas através da Internet ganhou vida própria, transformando-se numa rede social virtual para professores.

O Portal chama-se portal eTwinning

Até à data, inscreveram-se no portal eTwinning cerca de 55 000 professores, responsáveis de estabelecimentos de ensino e bibliotecários escolares, de 29 países.

Leia aqui a recente publicação eTwinning – Aventuras em língua e cultura.

Lançado em 2005 ao abrigo do programa de educação Comenius, o serviço electrónico continua a exercer a função para o qual foi concebido, isto é, permitir às escolas criar salas de aula virtuais com o auxílio de ferramentas como a áudio e a videoconferência.

Graças a este portal, alunos de países diferentes podem reunir-se, guardar trabalhos e trocar recursos sobre projectos conjuntos num ambiente seguro. Estão actualmente registados no portal mais de 5300 projectos nas 23 línguas. Existem kits de projectos que permitem criar uma empresa fictícia ou, para crianças mais pequenas, um conto de fadas digital.

Mas, tal como geralmente acontece no ciberespaço, o sítio Web foi adquirindo uma dinâmica própria à medida que foi sendo descoberto por cada vez mais professores. Dois terços dos 55 000 membros activos do portal não estão relacionados com nenhum projecto escolar. A maioria dos membros inscreveu-se para contactar com outros profissionais da educação e para trocar ideias. Todos os meses, são publicadas no portal mais de 5000 mensagens de professores.

O portal é gerido pela European Schoolnet, uma parceria de 31 Ministérios da Educação europeus. Inspirados por este êxito inesperado, os gestores do sítio lançaram uma nova versão do portal para incentivar esta tendência. O novo portal contém novas ferramentas (tais como blogues e wikis) destinadas a fomentar uma colaboração geral, não apenas relacionada com projectos específicos.

Todos os anos, é organizado um concurso para seleccionar os melhores projectos.

Energia para o futuro

Fevereiro 16, 2009

https://i0.wp.com/ec.europa.eu/news/images/energy/090204_1.jpg

Um pouco por toda a Europa, as cidades assumem o compromisso de reduzir ainda mais as emissões, abrindo assim uma nova frente na luta contra as alterações climáticas.

Numa cerimónia realizada em Bruxelas, a 10 de Fevereiro, cerca de 300 cidades assumiram o compromisso de ir além do objectivo da UE de reduzir em 20% as emissões de CO2 até 2020.

Algumas cidades já estão bem posicionadas para atingirem o objectivo dos 20% de redução das emissões de CO2. Um dos municípios mais activos nesta área é a cidade alemã de Heidelberg, que criou uma agência para aconselhar os residentes sobre a melhor forma de poupar energia.

Os preços da energia na UE subiram em média cerca de 15% em 2008, parcialmente em resposta à crescente procura por parte dos países em desenvolvimento como a China e a Índia. Mais de 50% da energia da UE vem de países terceiros e a sua dependência energética é cada vez maior.

A maior parte desta energia vem da Rússia, cujas disputas com os países de trânsito levaram nos últimos anos a vários cortes no abastecimento. O último corte em Janeiro durou quase duas semanas.

Sabe em que consiste a Campanha Europeia de Energia Sustentável?

A Campanha Europeia de Energia Sustentável 2005-2008 é uma iniciativa da Comissão Europeia, inserida no âmbito do programa Energia Inteligente – Europa (2003-2006), que pretende sensibilizar a opinião pública e promover a produção e consumo de energia sustentável por parte da sociedade civil e das organizações de toda a Europa (empresas privadas e entidades públicas, grupos profissionais e agências de gestão energética, associações industriais e ONG).

No futuro, o sector europeu da oferta e da procura de energia terá de recorrer muito mais às novas fontes de energias renováveis e centrar a sua actuação em métodos mais eficientes em termos energéticos. A Europa lidera, actualmente, a luta para travar o esgotamento dos recursos naturais e prevenir as alterações climáticas. A nossa tarefa consiste, agora, em sensibilizar os consumidores e os decisores políticos para as vantagens proporcionadas pela produção e consumo de energias sustentáveis.

 

Veja como contribuir enquanto cidadão europeu

 

Para prosseguir a campanha europeia que pretende sensibilizar a opinião pública e alterar o panorama energético – Veja AQUI

Relatório: Exposição a vibrações no local de trabalho

Fevereiro 15, 2009

http://osha.europa.eu/pt/teaser/report_workplace_exposure_vibration_01.09012009/image_mini

Um em cada três trabalhadores europeus está exposto a vibrações no local de trabalho, estando este risco a adquirir uma importância crescente.

O presente relatório apresenta uma visão geral dos desafios com que se confronta a comunidade de segurança e saúde no que respeita à gestão dos riscos ocupacionais da exposição a vibrações.

Ler o relatório sobre vibrações

Locais de trabalho saudáveis

Fevereiro 15, 2009

http://osha.europa.eu/pt/teaser/healthy-workplaces-get-involved-with-new-campaign-material/image_mini

No âmbito da Campanha de Avaliação de Riscos dos Trabalhadores levada a cabo pela Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho, estão agora disponíveis novos cartazes sectoriais para descarregar em 22 línguas: agricultura, educação e construção.

 

Participe nesta campanha.

Cartazes sectoriais sobre a avaliação de riscos

É inadmissível

Fevereiro 15, 2009

 

Depois de alguns dias ausente deste BLOG por problemas electrónicos, deparo-me agora com um cenário triste de comentários e comentários que mais não são de gente que realmente nada tem para fazer e nada de útil consegue fazer pela sociedade em que vive.

 

Em 90% dos comentários, para não dizer 100%, referem o facto de o Eng. Joaquim Armindo ser católico ou como referem cristão.

 

Muito gostaria eu de saber se este facto incomoda alguém ou se de alguma forma fere a sensibilidade de alguém.

 

Eu gostava realmente de saber por que princípios se regem as pessoas que usam este facto como argumento contra o Eng. Joaquim Armindo.

 

Eu aqui só vejo uma coisa: estas pessoas só falam do que não sabem ou então sentem lá no seu subconsciente alguma frustração ou inveja pela integridade do nosso Amigo Eng. Joaquim Armindo.

 

Estou realmente já um pouco farta destes comentários discriminatórios e sem qualquer conteúdo útil para os nossos leitores.

 

Peço desculpa aos Leitores do Bem Comum que nada têm a ver com isto, mas realmente tinha de ter este desabafo.

 

É completamente inadmissível que se ataquem as pessoas desta forma desrespeitando os seus direitos, que para além do mais estão constitucionalmente consagrados.

 

Lurdes Gomes

Pelo Choupal

Fevereiro 15, 2009

https://i2.wp.com/3.bp.blogspot.com/_2E9RpgSUxWc/SZRcwJRsLSI/AAAAAAAACUM/ZZFHClQ3EZs/s320/cartaz.jpg

No caminho de Paulo de Tarso

Fevereiro 15, 2009

PAULO: O MISSIONÁRIO ITINERANTE

O ponto de partida de Paulo para as suas viagens missionárias, foi sempre Antioquia da Síria, foi a sua missão dos 41 aos 53 anos de idade. Viajou pelo mundo em três viagens missionárias, através do Império e do Mar Mediterrâneo. A sua metodologia foi sempre a mesma: começa o anúncio da sinagoga, em virtude da prioridade dos judeus face à salvação, e porque os judeus não acolhem a mensagem, Paulo dirige-se aos pagãos, na praça pública, falando habitualmente em grego ou fazendo-se entender por gestos ou desenhos. Normalmente estes acolhem a mensagem com muita alegria, e foi assim que fundou as comunidades. As exigências e os conflitos, ad intra (nas comunidades) e ad extra (contra o Império), fizeram dele um homem maduro e reflectido, como se poderá ler na Carta aos Romanos, o escrito mais elaborado e fundamentado. É interessante saber que o seu sustento conseguia-o a “trabalhar com as próprias mãos” (1.ª Coríntios 4.12), nas oficinas de tendas das cidades por onde passava.

Como é da ética, hoje não voto!

Fevereiro 14, 2009

A Secção de Pedras Rubras, a funcionar numa casa particular, o consultório médico do Dr. Jorge Catarino, é o local onde os militantes votam.

É vergonhoso que assim seja, por isso hoje não voto, porque não tenho onde, conforme os estatutos, para o Secretário Geral e para os delegados ao Congresso da Minha Secção, mais conhecida como Secção do Consultório.

No caminho de Paulo de Tarso

Fevereiro 8, 2009

PAULO: O ILUMINADO FERVOROSO

Até aos 28 anos de idade Paulo foi o praticante e o zeloso, e dos 28 anos aos 41 anos de idade, um iluminado fervoroso. Paulo aquando do acontecimento na estrada de Damasco, aos 28 anos, e quando perseguia os cristãos (Actos dos Apóstolos 9,5), gozava de muito poder e prestigio. O que aconteceu, conversão ou iluminação?, foi uma queda e cegueira, um “fui apanhado”, por Cristo. Paulo rompe com o seu passado e durante treze anos que em Damasco, Jerusalém, Arábia e Tarso, prepara-se para a missão de missionário itinerante, isto é, até aos 41 anos de idade. Neste processo, “foi decisivo para ele conhecer a comunidade daqueles que professavam ser discípulos de Jesus. Foi através deles que conheceu uma nova fé, um novo “caminho”, como lhe chamavam – que colocava no seu centro não a Lei de Deus, mas a pessoa de Jesus, crucificado e ressuscitado, ao qual se ligava a remissão dos pecados” (in: “Paulo, o Apóstolo dos Gentios”, de Bento XVI).