Archive for Outubro, 2008

Manuel Alegre: No DN de ontem

Outubro 30, 2008
Segundo o general de Gaulle, comete-se por vezes o erro de ter razão antes de tempo. Na moção “Falar é preciso”, apresentada ao Congresso do PS em 1999, cometi esse erro:

“A crise financeira que alastrou, dos mercados asiáticos à Rússia e já ameaça gravemente o Brasil e toda a América Latina, pode minar, de um momento para o outro, pela incerteza e pela volatilidade, o próprio funcionamento dos maiores centros financeiros do mundo. A ‘mão invisível’ falhou. São os mais ortodoxos ultraliberais, como Milton Friedman, quem vêm agora pedir a nacionalização da banca no Japão.

“E é por isso que é necessária uma nova esquerda. À escala europeia, primeiro. Mas capaz de se fazer ouvir, também, à escala mundial. À dimensão planetária do actual poder económico, financeiro e mediático, há que contrapor uma alternativa política.

“Temos de continuar a exigir uma reforma das instituições internacionais, do FMI ao Banco Mundial, para que deixem de ser arautos e agentes do pensamento único. Outra lógica terá de presidir à Organização Mundial do Comércio, para que a livre circulação de mercadorias não se torne em mais um instrumento de enfraquecimento das economias mais frágeis.

“É preciso regular os mercados financeiros mundiais, cuja ditadura e irracionalidade põem em causa a própria estabilidade dos sistemas políticos democráticos.”

Que fazer agora?

Os defensores do Estado mínimo, ideologicamente derrotados, pedem a intervenção do Estado. Para quê? Suspeita-se que para manter o que está e socializar as perdas. O problema é que, se tudo ficar na mesma, as mesmas causas produzirão os mesmos efeitos.

E a esquerda? Como escrevi, também antes de tempo, na moção que levei ao Congresso do PS de 2004:

“A esquerda tem de integrar e debater, no seu pensamento próprio, os princípios e os instrumentos possíveis de regulação da globalização: o combate à predação das multinacionais que localizam e deslocalizam investimentos a seu bel-prazer, a taxação das transacções financeiras internacionais, a abertura dos mercados dos países desenvolvidos às exportações oriundas dos países em vias de desenvolvimento, a travagem da proliferação dos off-shores, o combate à economia ‘suja’ dos tráficos de pessoas, drogas e dinheiro, o combate à exploração de mão-de-obra infantil, escrava ou sem quaisquer direitos sociais, e à degradação ambiental.”

Propus então um novo Contrato Social. E um Estado estratega, “cuja função não se reduz ao papel de árbitro, mas de produtor de bens públicos essenciais, desde o funcionamento do Estado de Direito à promoção dos serviços de interesse geral e à regulação dos mercados. Um Estado estratega a quem caberá suprir as falhas do mercado e estimular áreas ou sectores qualificados.” E acrescentava: “Para desempenhar essa função, o Estado precisa de manter nas suas mãos instrumentos eficazes, como por exemplo a Caixa Geral de Depósitos.”

Hoje até Alan Greenspan reconheceu que errou ao confiar que o mercado pode regular-se a si próprio. Mas, em 2004, aquelas ideias que propus pareceram arcaicas aos fundamentalistas do neoliberalismo e aos entusiastas da chamada esquerda moderna.

Não se sabe que réplicas se seguirão ao tsunami que abalou o sistema financeiro mundial. Nem até que ponto irá a recessão económica e quais as suas consequências sociais e políticas. Sabe-se que nada ficará como dantes. Mas em que sentido se fará a mudança? Era aí que a esquerda deveria ter um papel. Mas onde está ela? Talvez algo de novo possa surgir de uma vitória de Obama. Pelo menos um sopro de renovação. Mas há um grande défice de esquerda na Europa. Uma nova esquerda só poderá nascer de várias rupturas das diferentes esquerdas consigo mesmas. Ruptura com as práticas gestionárias e cúmplices do pensamento único. Ruptura com a cultura do poder pelo poder e com o seu contrário, a cultura da margem pela margem, da contra-sociedade e do contrapoder. Processo difícil, complicado, mas sem o qual não será possível construir novas convergências. Não para a mirífica repetição da revolução russa de 1917, nem para um modelo utópico global. Tão-pouco para segundas ou terceiras vias. Mas para uma via nova, que restitua à esquerda a sua função de força transformadora da sociedade e criadora de soluções políticas alternativas.

Anúncios

Informação

Outubro 29, 2008

https://i0.wp.com/www.act.gov.pt/imagens/logo_3.jpg

Álcool e drogas nos locais de trabalho são temas de livros editados pela ACT

Em Sessão Pública a realizar no próximo dia 30 de Outubro, às 17 horas, no Centro de Cultural de Belém – Sala Fernando Pessoa, em Lisboa, a Autoridade para as Condições do Trabalho vai apresentar os livros “Problemas Ligados ao Álcool e a Drogas no Local de Trabalho: uma evolução para a prevenção” e ”Gestão das Questões Relacionadas com Álcool e Drogas nos Locais de Trabalho” agora editados em português, no âmbito do Protocolo de colaboração assinado entre a ACT e o Escritório da OIT em Lisboa.

Na Sessão, que conta com a participação de Paulo Morgado de Carvalho, Inspector Geral do Trabalho, Luís Lopes, Coordenador Executivo para a Promoção da Segurança e Saúde no Trabalho, Paulo Bárcia, Director do Escritório da OIT em Lisboa, João Goulão, Presidente do Conselho Directivo do IDT e Valdemar Reis, Técnico Superior da ACT, será assinado um Protocolo entre a Autoridade para as Condições do Trabalho e o Instituto da Droga e Toxicodependência.

Os interessados em participar no evento poderão fazê-lo mediante o preenchimento e envio da ficha de inscrição para o endereço electrónico sofia.avo@act.gov.pt ou através do Fax: 213 308 704.

Um determinado blogue lê mal!

Outubro 29, 2008

Agora é assim, não tratamos os blogues pelo seu nome.

Aquilo que o BEM COMUM disse, e torna a dizer, é que existia um provável candidato e nunca avançamos com o seu nome, não era tempo, e não estavamos em posição de avançar com qualquer nome.

Agora também referimos a probabilidade de ser Joaquim Couto, que foi Presidente da Câmara de Santo Tirso e Governador Civil do Porto, e que não envergonha ninguém do PS. A sua terra, qual terra?, não o quis, afirmações gratuitas, ou medo de um bom resultado do PS da Maia.

FMS, do blogue maiato que avança com Mário Gouveia, não teremos qualquer problema em o apoiar se for ele, lê mal, interpreta mal, até porque bem sabe que esse blogue maiato está ao serviço da maioria de direita.

Às vezes o poder é mau conselheiro, o que parece ter acontecido no autor do post desse blogue maiato.

Só afirmamos que poderá ser Joaquim Couto o candidato, e a direita trema, porque será?

Joaquim Couto, provável candidato à Câmara da Maia

Outubro 29, 2008

Aqui está o possível candidato à Câmara Municipal da Maia, Joaquim Couto. Ao que tudo indica será o candidato do PS à Câmara Municipal da Maia.

Venha e felicidades, estarei ao seu lado.http://tbn0.google.com/images?q=tbn:GEbwAF9kNGqCSM:http://app.parlamento.pt/webutils/getimage.aspx%3Fid%3D1268%26type%3Ddeputado

O Bem Comum, chega às 12 000 visitas, no mês de Outubro

Outubro 29, 2008

Mais uma vez uma subida, o BEM COMUM ultrapassou os números do mês anterior, e em Outubro já soma mais de 12 000 visitas, num mês, pela primeira vez.

A TODAS AS LEITORAS E LEITORES, MUITO OBRIGADO, APESAR DE POR MOTIVOS PESSOAIS NÃO TER SIDO POSSÍVEL ACOMPANHAR MAIS DE PERTO ESTE BLOGUE.

Joaquim Jorge, deixa o PS

Outubro 28, 2008

Joaquim Jorge, do Clube dos Pensadores, começava a ser uma referência no PS, e mais concretamente na Maia, acabou por “entregar o cartão”.

Este PS da Maia é assim.

Creio que Joaquim Jorge, com quem nunca conversei,era uma mais valia para o PS da Maia, mas compreendo que tenha chegado ao limite.

A ele felicidades, e aí, por aí, havemos de nos encontrar nas lutas por um socialismo, liberto do neo-liberalismo, e de esquerda.

Um abraço Joaquim Jorge.https://i0.wp.com/4.bp.blogspot.com/_Fw4Cp_hfKgQ/SQWBhuxKkOI/AAAAAAAAAQ0/AiPWnKR5yr4/s320/JJ.png

Relatório do Estado do Ambiente 2007

Outubro 27, 2008

https://i0.wp.com/www.apambiente.pt/Destaques/PublishingImages/REA2007215.gif

Foi apresentado, na passada semana, à Assembleia da República o Relatório do Estado do Ambiente (REA) referente a 2007.

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) é a entidade do Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e Desenvolvimento Regional responsável pela elaboração anual destes Relatórios, de acordo com a Lei de Bases do Ambiente, assim como pela sua divulgação.

Neste contexto, a APA assegura a recolha, tratamento e análise da informação ambiental, coordenando a elaboração anual do REA.

 

Consulte AQUI a versão preliminar do REA 2007.

A avaliação dos riscos é essencial para a segurança no trabalho

Outubro 26, 2008

https://i1.wp.com/boasaude.uol.com.br/images/articlesimg/acidente_trabalho.jpg

Todos os anos, cerca de 7500 trabalhadores da UE são vítimas de acidentes mortais no local de trabalho e 170 000 vêm a falecer na sequência de doenças ou acidentes relacionados com o trabalho.

Mais de 7 milhões de pessoas sofrem lesões que requerem, pelo menos, três dias de baixa. A agricultura, a construção os transportes e a saúde são os sectores em que há mais riscos.

Muitos destes acidentes e doenças poderiam evitar-se através de uma avaliação de riscos adequada, mas muitos empregadores não a fazem. É mais frequente serem as grandes empresas a efectuar estudos de avaliação dos riscos.

Todavia, é nas pequenas e médias empresas que ocorrem mais de 80% dos acidentes profissionais e 90% das mortes no trabalho. Os acidentes de trabalho e as doenças profissionais não só são uma tragédia para as vítimas, mas também representam um prejuízo para as empresas.

A UE lançou uma campanha para sublinhar a importância da avaliação dos riscos para a saúde e a segurança e aconselhar as empresas sobre a melhor forma de realizar a avaliação dos riscos. Durante a Semana Europeia para a Segurança e a Saúde no Trabalho (20 a 24 de Outubro), realizaram-se em toda a Europa centenas de eventos e actividades, nomeadamente conferências, exposições e acções de formação.

A conclusão de muitas empresas é esta: “Tornámo-nos muito mais conscientes depois do acidente”. “Antes, limitávamo-nos a trabalhar sem sequer pensar nos riscos.”

Dia Mundial da Osteoporose

Outubro 25, 2008

https://i1.wp.com/portalamazonia.locaweb.com.br/sites/estilo/img/upload/foto%20osteoporose%203.jpg

O Dia Mundial da Osteoporose é comemorado anualmente a 20 de Outubro pela Fundação Internacional da Osteoporose e pelos seus membros em todo o mundo, sendo crucial para uma maior sensibilização para a prevenção e o tratamento da osteoporose, uma doença cada vez mais presente devido ao envelhecimento da população.

A osteoporose é uma doença que torna os ossos menos densos e mais frágeis, aumentando o risco de fracturas.

Na Europa, estima se que aproximadamente uma em cada três mulheres e um em cada cinco homens com idade superior a 50 anos sofrerão uma factura osteoporótica.

A Fundação Internacional da Osteoporose publicou recentemente um novo relatório sobre a Osteoporose na União Europeia em 2008: dez anos de progressos e de desafios constantes.

Este relatório elaborado pelo Painel de Consulta da UE, foi apresentado à imprensa a 14 de Outubro, em Bruxelas, na presença da Women Leaders Roundtable da Fundação que conta com a participação de Androulla Vassiliou, Comissária Europeia da Saúde. O relatório deverá incentivar os ministérios da saúde em toda a UE a lançar iniciativas neste contexto.

PS de Gueifães: blogue

Outubro 25, 2008

O PS de Gueifães acaba de publicar o seu blogue.

Bem vindo a este mundo da Internet, por muitos anos, felicidades.

Renato Sampaio ganha as eleições na Federação do Porto do PS

Outubro 25, 2008

Números provisórios, apontam, para:

Renato Sampaio: mais de 85%

Pedro Baptista: 11 %

Eduardo Saraiva: 1%

Na Maia: Pedro Baptista ganhou nas Secções do Castelo da Maia e Águas Santas

Hoje não voto para a Federação do Porto do PS

Outubro 25, 2008

A minha Secção é a de Pedras Rubras, do PS da Maia, as votações são num consultório médico privado do Grão -Mestre do PS aqui de Pedras Rubras e da Maia.

As eleições não têm sido democráticas, pois é tudo controlado ao pormenor e as vigarices são já por mais evidentes.

Assim, eu não posso votar! Não voto em urnas em propriedade particular, quando os estatutos do partido dizem que têm de ser em local público. Assim não voto.

Os candidatos deviam insurgir-se contra este estado de coisas…

Campanha de Sensibilização no Sector dos Transportes

Outubro 22, 2008

https://i0.wp.com/www.act.gov.pt/imagens/logo_3.jpg

No âmbito da Campanha Europeia 2008/09 “Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis” foi elaborada uma parceria entre a FECTRANS – Federação Nacional dos Sindicatos dos Transportes – e a ACT.

Esta parceria tem em vista, a concepção e desenvolvimento de uma campanha de sensibilização, para a prevenção de riscos profissionais junto dos trabalhadores do sector rodoviário e seus representantes, nas seguintes matérias: 

  • Legislação em vigor, nacional e internacional, sobre direitos e deveres dos trabalhadores e legislação específica do sector;
  • Prevenção do Alcoolismo e do VIH/SIDA; 
  • Combate à fadiga e prevenção das LMERT. 

 Neste contexto, vão ter lugar diversas iniciativas: seminários, spots publicitários e outras a anunciar oportunamente.

 

A conferência de lançamento desta campanha, terá lugar no Hotel Zurique em Lisboa, amanhã, dia 23 de Outubro.

 

Poderá obter mais informações sobre a Conferência de Lançamento, contactando a FECTRANS – 21 845 34 66.

 

Para consultar o programa clique aqui

 

Alterações climáticas

Outubro 21, 2008

O Fundo Mundial para a Natureza ou «World Wildlife Fund» (WWF) alertou no passado dia 19 de Outubro, que as mudanças climáticas previstas por Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC) para o ano de 2099, podem ocorrer já entre 2013 a 2040, de acordo com as últimas investigações sobre o tema, noticia o jornal Folha de São Paulo.

A WWF encontra-se extremamente preocupada com o actual panorama económico, que já levou vários países europeus (como a Itália ou a Polónia) a reconsiderar as posições assumidas no protocolo de Quioto. O Fundo Mundial para a Natureza fez um apelo para que a UE altere a quota de redução das emissões de gases de efeito estufa prevista para 2020, de 20 para 30 por cento, de modo a minimizar os riscos apontados por este estudo.

As assumpções sugeridas pelo relatório sobre as alterações climáticas, publicado no ano passado por o IPCC, previam que houvesse uma subida do nível médio das águas do mar de 59 centímetros apenas no final do século. De acordo com os últimos estudos sobre as alterações climáticas, essa subida pode atingir o dobro no mesmo período de tempo, prevendo uma subida do nível médio das águas do mar de um metro e dezoito centímetros.

Segundo a mesma investigação, os períodos de secas e inundações irão também sofrer graves alterações até final do século XXI, assim como a possibilidade de ocorrerem furacões e tempestades no espaço europeu. Em relação ao degelo do Oceano Árctico, previsto igualmente como extremamente possível apenas no final do século, vêm agora segundo este estudo, a tornar-se uma realidade num futuro bastante mais próximo, mais concretamente entre 2013 a 2040.

Educação: debate na Maia

Outubro 21, 2008

https://i1.wp.com/farm4.static.flickr.com/3052/2957786771_37ecaf29b3.jpg

Disparidades de rendimento a nível mundial

Outubro 20, 2008

https://i2.wp.com/www.ilo.org/public/portugue/region/eurpro/lisbon/images/wcms_099375.jpg

De acordo com o Relatório da OIT, World of Work Report 2008: Income Inequalities in the Age of Financial Globalization, apesar do forte crescimento da economia ter produzido milhões de empregos desde os anos 90, continuam a verificar-se desigualdades nos rendimentos na maior parte das regiões do mundo e estima-se que esta situação se continue a verificar, devido à crise financeira mundial.

Veja AQUI este Relatório (inglês)

Em Gueifães

Outubro 20, 2008

A Junta de Freguesia de Gueifães, no âmbito do acordo de geminação que mantém com a cidade espanhola de El Espinar, vai realizar uma exposição de fotografia subordinada ao tema

“Um Breve Olhar Sobre… El Espinar e Gueifães”

Hoje, 20 de Outubro, a partir das 21h30, na sede da ASMAN (instalações junto ao edifício da Junta de Freguesia).

Ainda Fernando Ferreira

Outubro 20, 2008

Desculpe são 7 da manhã e tenho de ir trabalhar, logo queria responder-lhe; vamos ver se chego cedo.

Em resposta a Fernando Ferreira

Outubro 19, 2008

Caro Fernando Ferreira,

Definitivamente o senhor lê mal, e deixe-me dizer que existem aí os RVCC.

Eu quando tiver comentários a fazer faço-os, na Sede apropriada, no mundo, na minha Terra, porque não procuro lugares…

Na verdade, o camarada conhece-me mal. Nunca precisei do partido para nada (inclusivé profissionalmente, e isso chateia muita gente)! E você sabe muito bem disso, trabalho muito e o meu pão é ganho pelas minhas mãos.

Você não mendigou apoios, porque o Grão – Mestre decidiu que você fosse para presidente, numa eleição de fraude, e você aceitou. Quando ele o não quis tirou-o..
Quanto aos seus queixumes, você ofende-me, porque ainda sei dar um chuto, veja 12 anos em Moreira, 8 na Assembleia Municipal e 4 na Metropolitana, e pergunte meu caro o que fui fazendo.

Você não faça beicinho por eu não ter estado do seu lado,quando foi a moção de censura, que o derrubou, embora permanecesse agarrado ao poder.

Informo-o que na minha freguesia, Vila Nova da Telha, tem um presidente socialista, que você não quis, por obediência ao Grão – Mestre, e está a ser bem governada.

Quanto à humildade penso que a tenho, e os tiros só quando fui militar (você não sabe o que é isso!), é que os dei; não confunda as coisas: a verdade e a omissão!!!

Por isso lhe recomendo que seja mais comedido, e quando for novamente presidente, seja interveniente.

Fica o esclarecimento.

Os blogues são de livre expressão: Fernando Ferreira, faz acusações gratuítas

Outubro 19, 2008

Em artigo de opinião assinado por Fernando Ferreira, anterior Presidente da Comissão Política da Maia, sobre o primeiro aniversário da sua demissão, pedida também aqui neste blogue,comenta que, agora, os blogues estão calados perante e ineficácia da actual gestão socialista da Comissão Política e do seu Secretariado.

Engana-se, porém, este blogue nunca colocou mordaça, e é só ver, quando não concorda diz e bem alto, e Fernando Ferreira sabe-o bem, se lutássemos por lugares seriamos apoiados pelo Grão Mestre das Terras da Maia, socialistas estávamos na Assembleia Municipal, e assim não estamos ; mas sabemos que não haverá lugar a qualquer unidade enquanto o Grão Mestre não ficar calado, seja publicamente, seja nos corredores – onde agora se move – e como sabe Fernando Ferreira ganhou as eleições porque a Secção do Consultório lhe deu de mão beijada a vitória. Mas este Grão Mestre ganha no consultório, aquilo que sempre perde nas urnas onde o povo da Maia vota. Esta é uma luta que serve a direita no poder, mas enquanto não for assim, Fernando Ferreira ou Mário Gouveia, sereis eleitos pela bênção dele, mas o PS da Maia perderá sempre.

Esperemos que o candidato à Câmara Municipal da Maia do PS, dê definitivamente uma saída a este circo, em que se tornou o PS da Maia, com respeito pelo circo.