Archive for Julho, 2008

Boas noticias para quem sofre de asma

Julho 30, 2008

Investigadores da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação (FCNAUP) e da Faculdade de Medicina (FMUP) da Universidade do Porto, em colaboração com o Serviço de Imunoalergologia do Hospital de S. João, verificaram que a dieta mediterrânica reduz em cerca de 80 % o risco de os asmáticos terem a doença mal controlada.

O estudo foi publicado na edição e Julho da revista «Allergy».


A dieta mediterrânica, caracterizada pelo elevado consumo de hortofrutícolas, leguminosas, cereais inteiros, frutos secos, azeite e peixe, pelo consumo moderado de lacticínios e de álcool, e pelo consumo reduzido de carnes vermelhas e processadas, foi considerada pelos investigadores envolvidos no estudo um “cocktail” de componentes potencialmente protectores na asma.


Sabe-se que este tipo de dieta previne a asma e a rinite alérgica nas crianças, mas desconhecia-se, até agora, o impacto deste padrão alimentar na população adulta já com asma. Foi neste ponto que a equipa de investigação se centrou, com o objectivo de perceber a associação entre a adesão à dieta Mediterrânica e o controlo e gravidade da asma.

Tipo de Fonte: Informação On-line

Anúncios

Festival Cómico da Maia

Julho 30, 2008

De 3 a 12 de Outubro realiza-se a 14ª edição do Festival Internacional de Teatro Cómico da Maia (FITCM), uma iniciativa da Câmara Municipal da Maia e direcção artística do Teatro Art’Imagem, que proporciona durante 10 dias, espectáculos às 21h30m no Grande Auditório, às 23h30m no Café-Teatro, bem como animações de rua às 21h00 e ao fim-de-semana espectáculos para crianças, com entrada gratuita às 16h00.

A programação apresenta o teatro cómico em todas as suas dimensões e disciplinas, da grande comédia ao teatro de rua, do musical à mimica, do “stand-up-comedy” ao novo circo, das marionetas ao café-teatro, trazendo à cidade da Maia prestigiadas companhias nacionais e estrangeiras que apresentam os seus espectáculos para um numeroso público, que na última edição ultrapassou os 12 mil espectadores.

A edição deste ano apresentará mais de 25 companhias portuguesas e outras vindas de Espanha, Bélgica, Austrália, Inglaterra, Chile, Itália e Alemanha.

Um especial relevo para a presença de Maria do Céu Guerra e o seu premiado espectáculo “O Pranto de Maria Prada” um texto do nosso Gil Vicente e o regresso, com novos espectáculos, de dois grandes mestres do teatro cómico internacional, a británica Nola Rae, o belga Elliot e a companhia portuguesa do Chapitô, que tanto êxito alcançaram em edições anteriores.

Este ano também, destaques especiais para a premiada companhia australiana de Joel Salom e, para o mestre de mímica, o belga Joseph Collard.

A programação definitiva do festival será apresentada, em Conferência de Imprensa no dia 23 de Setembro próximo.

Lembramos que a primeira edição do FITCM teve lugar em 1994, sendo este ainda o único festival regular exclusivamente dedicado ao teatro cómico em Portugal, realizando-se anualmente na primeira quinzena de Outubro no Fórum da Maia e a sua envolvente exterior.

Feira da Agricultura Biológica na Maia

Julho 30, 2008

No próximo Domingo, 03 de Agosto, e em todos os domingos subsequentes, das 9h00 às 14h00, realizar-se-á no Mercado do Castêlo da Maia a Feira de Agricultura Biológica da Maia com produtos certificados produzidos sem a intervenção de qualquer químico, por diferentes produtores.

Uma forma de promover a agricultura biológica e de dar a conhecer a todos o trabalho dos diversos produtores, impulsionando esta nova vertente agrícola em franco crescimento em Portugal e na Europa. A entrada é livre.

O Secretariado do PS da Maia, em Vermoim

Julho 30, 2008

VER AQUI

Secratariado da Comissão Política do PS da Maia: até agora nada!

Julho 30, 2008

1.- Foi eleita há meses a nova Comissão Política do PS da Maia, e o seu Secretariado, que até agora disse: NADA;

2.- Para além dum perfil de candidato a Presidente da Câmara da Maia, sem antes ser definida uma estratégia, e que não sabemos se já existe; dumas visitas a freguesias para “conhecerem” as suas necessidades, onde pára o Secretariado da Comissão Política do PS da Maia?

3.- Dentro de portas? Ou em silêncio que também fala?

O que fazem os Jogos Olímpicos…

Julho 29, 2008

A onze dias do início dos Jogos Olímpicos, o Gabinete de Protecção Ambiental de Pequim reconheceu o fracasso das restrições à circulação automóvel, que desde a passada semana retiraram metade dos veículos das ruas da capital chinesa. Agora as autoridades deverão anunciar regras ainda mais restritivas no decorrer desta semana.


Um dos planos a ser estudado engloba a proibição de circulação a 90% dos veículos automóveis durante a competição.

 

A qualidade do ar e as alterações climatéricas são dois dos maiores adversários dos atletas e as maiores ameaças à organização dos Jogos Olímpicos de Pequim. A qualidade do ar continua a ser preocupante com os níveis médios de concentração de partículas, um dos principais indicadores da poluição atmosférica, ainda a apresentar valores duas vezes superiores aos recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), segundo um estudo da Greenpeace, com o título “China depois dos Jogos Olímpicos – Lições de Pequim”.

O etíope Haile Gebreselassie, recordista mundial da maratona, foi o primeiro a recusar participar na maratona devido aos altos índices de poluição. Ainda resta a dúvida sobre qual será o impacto da poluição nos atletas, mas admitiu que ela pode influenciar o seu rendimento, principalmente nos que têm problemas respiratórios, como são o caso de quatro fundistas portugueses.


Segundo o estudo da Greenpeace, “a actual qualidade do ar em Pequim enfrenta grandes desafios, devido à explosão económica do país e ao rápido aumento da propriedade de automóvel individual”, alerta o estudo que admite que “deveria ter sido feito mais para levar a cidade a adoptar métodos mais limpos”.

 

Crónica publicada hoje no Primeiro de Janeiro

Julho 29, 2008

MOSCADEIRO

A CULTURA DA SEGURANÇA

Há poucos dias ouvíamos todos que em Portugal, a Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT). Verificou mais de 10 000 estaleiros, tendo verificado anomalias graves em mais de 1 000,e por isso instaurado as devidas contra-ordenações. Algumas delas referem-se a coisas simples de cumprir, mas muito preciosas para todos, por exemplo, os exames periódicos ou ocasionais que os Médicos do Trabalho têm de efectuar, sendo responsáveis pela sua não realização as entidades patronais e os respectivos Técnicos Superiores de Segurança e Higiene. Mas no nosso país só uma intervenção “tipo ASAE” conseguirá o assegurar de condições para assegurar as condições mínimas de segurança e saúde, para todos os trabalhadores. É verdade que essa intervenção não cria, nem vai criar, uma cultura de segurança e saúde nas organizações, se só levarem a efeito a gestão dos perigos e riscos por uma actuação coerciva; é necessário criar todas as condições para que as organizações e os seus dirigentes compreendam que o início de qualquer “obra” e/ou “estaleiro”, ou o normal funcionamento do trabalho é necessário para a defesa dos homens e mulheres que trabalham, o que traduzido dá por um empenhamento de todas as partes interessadas: os governos, os empregadores e os trabalhadores. Quando os dirigentes das organizações são os primeiros a prevaricar, porque não são eles que estão no meio dos perigos e riscos, deixando funcionar “obras/estaleiros”, sem o cumprimento integral de condições normais, então tornam-se coniventes com o número de mortes e feridos, por motivo da sua incompetência e arrogância para aqueles que são os trabalhadores, é de facto uma questão de cultura substantiva, que muitas vezes possuem o beneplácito dos trabalhadores.

O 18.º Congresso Mundial sobre Segurança e Saúde no Trabalho, reunido em Seul, a 29 de Junho de 2008, tendo consciência desta questão mortífera, decidiu apelar aos governos, empregadores e trabalhadores, no sentido que uma nova consciência nasça, afim de que os 2,3 milhões anuais de vitimas, com uma perda de 4% do PIB (esta é para os economistas!), assumam “ a liderança da promoção de uma cultura preventiva de segurança e saúde no trabalho e a assegurar que os seus planos nacionais dêem prioridade à segurança e saúde no trabalho”. Declaram que “ a melhoria contínua da segurança e saúde no trabalho deveria ser promovida através da introdução de sistemas de gestão da segurança e saúde no trabalho”, e consideram que os governos deveriam “garantir que a segurança e saúde laboral dos trabalhadores esteja protegida por um sistema adequado e apropriado de execução de regras de segurança e saúde que inclua um sistema sólido e eficaz”, assim como os empregadores deveriam garantir que “a prevenção constitua uma parte integrante das suas actividades, já que o bom desempenho empresarial está associado a normas que garantam um elevado nível de segurança e saúde no trabalho”. Este Congresso Mundial que reconhece “que os progressos na segurança e saúde no trabalho têm um impacto positivo nas condições de trabalho, na produtividade e no desenvolvimento económico e social”, recorda “a importância da educação, da formação, da consulta e intercâmbio de informação e de boas práticas na prevenção e promoção de medidas preventivas”. E reafirma que “uma cultura nacional de prevenção em matéria de segurança e saúde no trabalho é aquela em que o direito a um ambiente de trabalho seguro e saudável é respeitado a todos os níveis, em que governos, empregadores e trabalhadores participam activamente em iniciativas destinadas a garantir ambientes de trabalho seguros e saudáveis mediante um sistema de direitos, responsabilidades e deveres bem definidos e em que se concede a máxima prioridade ao princípio da prevenção”. Gostaria agora que “vamos a férias” os responsáveis políticos, na Maia também, reconhecessem a necessidade de afirmar um cultura de segurança.

Joaquim Armindo

Membro da Comissão Política do PS da Maia

jarmindo@clix.pt

http://www.bemcomum.wordpress.com

Escreve esta coluna quinzenalmente

“SNS está cada vez melhor”

Julho 28, 2008

O primeiro-ministro, José Sócrates, defendeu hoje, em Vila Real, que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) “tem evoluído muito nos últimos anos e está cada vez melhor”, decorrente das reformas realizadas no sector nos últimos anos.

Entre as melhorias visíveis, Sócrates refere o aumento do número de consultas, as consultas nos centros de saúde que ultrapassam as que se realizam nas urgências hospitalares e também a redução para metade no tempo médio de espera por uma cirurgia.

O nosso primeiro-ministro fala das estatísticas, porque ele não vai ao Serviço Nacional de Saúde (pelo menos como utente).

 

Será que o cidadão comum já sentiu estas melhorias? Ou estas melhorias são apenas estatísticas?

Verão na Maia

Julho 28, 2008

No próximo Sábado, 02 de Agosto, a Praça dos Maninhos (Vermoim/Maia) vai receber mais um especial “Verão 2008 é na Maia” com animação pelo Pelouro do Desporto da C.M.Maia (aula de ginástica e percurso pedestre) das 10h às 13h.

Pelas 17:30h, o camião com ecrã gigante, transmite o filme infantil “”O Irmão Urso” e pelas 21:30h o filme “O Gladiador”.

A programação do “Verão 2008 é na Maia” continua no Sábado seguinte (09 de Agosto), desta vez no Monte Sr.ª da Hora na freguesia de Nogueira da Maia: Insuflável, Percursos pedestres, Atelier de reciclagem de papel e reutilização, BiblioBus, livraria ambulante, “a Hora do Conto” e cinema ao ar livre. Um conjunto vasto de actividades apresentadas pelos Pelouros de Ambiente, Desporto e Cultura da C.M.Maia e pela Biblioteca Municipal.

Os filmes a apresentar são os seguintes: Infantil, 17:30h, “À Procura de Nemo”; Família, 21:30h, “Asterix”.

Actividades ao Ar Livre e gratuitas.

O Cavaleiro das Trevas

Julho 27, 2008


o bom, o mau e o vilão
(artigo publicado na edição de Quinta de «O Primeiro de Janeiro»)

Esta semana Portugal assiste a uma das mais esperadas estreias do Verão: o novo filme da série Batman, desta vez sem o nome do herói no título: «O Cavaleiro das Trevas». O filme é assinado pelo realizador Cristopher Nolan, um autor de dois filmes de êxito no início do século: «Memento» e «Insomnia». Na verdade, Nolan traz para este Batman uma visão pessimista e escura das relações humanas e, nesse sentido, subverte o conceito de herói. Mais do que actual nos tempos de hoje. Para além disso, o filme fica marcado como o último trabalho de Heath Ledger, o actor de «Brockenback Mountain» que acabaria por cometer suicídio no início de 2008. Mais uma razão para o filme se tornar um objecto de culto. Por um lado, o filme merece um visionamento cuidado e, por outro, revela um argumento demasiado labiríntico.

A narrativa do filme inicia com mais uma guerra contra o crime: o Batman volta a ajudar a polícia e o seu amigo Gordon. Contudo, apesar do sucesso que a operação parece conseguir, um novo personagem se introduz estragando o esquema da lei: o Joker. Com os seus mirabolantes e imprevistos esquemas, o Joker consegue ludibriar todos e, dessa forma, espalha o terror por Gotham City. Muitas mortes depois, o Batman inicia uma caça ao homem, mas, com demasiadas reviravoltas, o que consegue fazer é provocar a morte da sua paixão de sempre, Rachel, que agora era companheira de Harvey Dent, um procurador determinado que também acaba por sucumbir à loucura quando Rachel morre.

Como se vê pela narrativa, «O Cavaleiro das Trevas» é um labiríntico enredo de voltas e reviravoltas, com sucessivas formas de “eu-planeei-este-contrataque-depois-de-ti”. Nesse sentido, o filme perde-se e faz esmorecer a eventual ansiedade pelo rumo da narrativa. Porque, na verdade, o filme acaba por ter diversos pontos de interesse, a começar pelo momento de graça de Heath Ledger como Joker: um verdadeiro personagem do mal, um lunático doente psiquiátrico que não tem referências morais e que leva ao desespero Batman e a polícia, porque não conseguem prever o que vai acontecer.

É talvez esse o ponto de partida para o lado mais pessimista do filme, a saber: Batman descobre que será impossível erradicar o crime e Joker consegue fazê-lo debater com uma pergunta moral: devo ou não transgredir as regras? Por isso, Batman acaba por ser visto como um playboy à procura de conquistar a mulher que ama e que não sabe se deve ou não parar com a sua actividade. Talvez se o filme se conseguisse concentrar neste debate, pudesse ser mais conciso e determinante. Assim sendo, «O Cavaleiro das Trevas» constrói uma teia complexa de personagens que se vão sobrepondo umas às outras. É pena, porque Nolan parecia ter construído uma face mais humana para este cavaleiro agora menos herói e mais indeciso. Mas agora só resta esperar pela próxima sequela.

«O Cavaleiro das Trevas» («The Dark Night»), um filme de Christopher Nolan, com Christian Bale, Michael Caine, Heath Ledger, Aaron Eckhart, Gary Oldman e Morgan Freeman. Estados Unidos, 2008, Cores, 125 min.
Site Oficial: http://ocavaleirodastrevas.com.pt/

Crónica publicada hoje no Primeiro de Janeiro

Julho 27, 2008

ÁGUA VIVA

O ANO PAULINO

As Igrejas cristãs católica e ortodoxa resolveram que este ano, como começo em Junho, seria um ano de estudo de Paulo, de Tarso, e de todo o seu “Evangelho”, constituído pelas cartas que dirigiu às comunidades da “seita do Nazareno”. Paulo foi um perseguidor de todos os pertencentes daquela seita, e andava mesmo de terra em terra para castigar todos aqueles que mencionassem a palavra de Jesus. Proveniente de Tarso, onde a cultura era viva, Paulo não perdoava que o Nazareno tivesse inaugurado uma nova humanidade, para ele isso era ignóbil, um atentado a tudo aquilo em que era a normalidade. Judeu fervoroso, marcado pela cultura grega, fariseu e zeloso, foi o primeiro escritor cristão, sendo algumas das cartas, ou bilhetes, que passaram a ter uma grande importância; embora algumas delas tenham sido escritos por seus seguidores. Polémico, principalmente no Concilio de Jerusalém, defendeu as suas ideias com fervor, opondo-se a Pedro de forma tão violenta, que persiste a dúvida se não houveram mesmo “umas estaladas” pelo meio.

Para os nossos dias estes escritos, canónicos, possuem uma actualidade muito grande, dado que percebemos muito bem as diferenças entre os vários pensamentos da primitiva igreja cristã, e como também possuíam várias opiniões, muitas divergências, mas uma unidade, na pluralidade. Uma igreja em Portugal (a Anglicana), refere que “unidade no essencial, liberdade na dúvida, amor em tudo”, é a visão que uma comunidade deve ter. A decisão do ano Paulino, dá-nos a oportunidade de estudar, a formação é talvez das necessidades mais importantes que tem hoje a igreja, esta referência fundamental, a ecuménica, que produz efeitos que afinal “somos todos diferentes e todos iguais”, o que interessa é segundo o próprio Paulo a acção, no mundo conturbado que vivemos. Se dentro das diferenças, formos capazes de colocar o amor em tudo, então a humanidade será outra, porque forjada unicamente naquilo que permanece para sempre: a caridade, o amor.

Joaquim Armindo

Licenciado em Ciências Religiosas

jarmindo@clix.pt

http://www.bemcomum.wordpress.com

Escreve no JANEIRO quinzenalmente.

Limpeza étnica

Julho 27, 2008

Transcrevo aqui um artigo da autoria do Jornalista Mário Crespo a propósito do que temos vindo a assistir incrédulos em volta da Quinta da Ponte em Loures.

Diz ele:

“O homem, jovem, movimentava-se num desespero agitado entre um grupo de mulheres vestidas de negro que ululavam lamentos. “Perdi tudo!” “O que é que perdeu?” perguntou-lhe um repórter.
“Entraram-me em casa, espatifaram tudo. Levaram o plasma, o DVD a aparelhagem…” Esta foi uma das esclarecedoras declarações dos auto desalojados da Quinta da Fonte. A imagem do absurdo em que a assistência social se tornou em Portugal fica clara quando é complementada com as informações do presidente da Câmara de Loures: uma elevadíssima percentagem da população do bairro recebe rendimento de inserção social e paga “quatro ou cinco euros de renda mensal” pelas habitações camarárias. Dias depois, noutra reportagem outro jovem adulto mostrava a sua casa vandalizada, apontando a sala de onde tinham levado a TV e os DVD. A seguir, transtornadíssimo, ia ao que tinha sido o quarto dos filhos dizendo que “até a TV e a playstation das crianças” lhe tinham roubado. Neste país, tão cheio de dificuldades para quem tem rendimentos declarados, dinheiro público não pode continuar a ser desviado para sustentar predadores profissionais dos fundos constituídos em boa fé para atender a situações excepcionais de carência. A culpa não é só de quem usufrui desses dinheiros. A principal responsabilidade destes desvios cai sobre os oportunismos políticos que à custa destas bizarras benesses, compraram votos de Norte a Sul. É inexplicável num país de economias domésticas esfrangalhadas por uma Euribor com freio nos dentes que há famílias que pagam “quatro ou cinco Euros de renda” à câmara de Loures e no fim do mês recebem o rendimento social de inserção que, se habilmente requerido por um grupo familiar de cinco ou seis pessoas, atinge quantias muito acima do ordenado mínimo. É inaceitável que estes beneficiários de tudo e mais alguma coisa ainda querem que os seus T2 e T3 a “quatro ou cinco euros mensais” lhes sejam dados em zonas “onde não haja pretos”. Não é o sistema em Portugal que marginaliza comunidades. O sistema é que se tem vindo a alhear da realidade e da decência e agora é confrontado por elas em plena rua com manifestações de índole intoleravelmente racista e saraivadas de balas de grande calibre disparadas com impunidade. O país inteiro viu uma dezena de homens armados a fazer fogo na via pública. Não foram detidos embora sejam facilmente identificáveis. Pelo contrário. Do silêncio cúmplice do grupo de marginais sai eloquente uma mensagem de ameaça de contorno criminoso – “ou nos dão uma zona etnicamente limpa ou matamos.” A resposta do Estado veio numa patética distribuição de flores a cabecilhas de gangs de traficantes e auto denominados representantes comunitários, entre os sorrisos da resignação embaraçada dos responsáveis autárquicos e do governo civil. Cá fora, no terreno, o único elemento que ainda nos separa da barbárie e da anarquia mantém na Quinta da Fonte uma guarda de 24 horas por dia com metralhadoras e coletes à prova de bala. Provavelmente, enquanto arriscam a vida neste parque temático de incongruências socio-políticas, os defensores do que nos resta de ordem pensam que ganham menos que um desses agregados familiares de profissionais da extorsão e que o ordenado da PSP deste mês de Julho se vai ressentir outra vez da subida da Euribor. ”

Vale a pena parar para pensar se queremos continuar a contribuir com os nossos impostos para suportar a subsidiodependência de alguns, para satisfazer as reivindicações de quem tudo exije da sociedade mas nada contribui para ela …

Dia Nacional da Conservação da Natureza

Julho 26, 2008

No dia 28 de Julho é o Dia Nacional da Conservação da Natureza.


Aproveite se está de férias e vá passear pelos parques naturais da sua região. Ouça, cheire e sinta a beleza que a natureza tem para lhe oferecer.


e aqui encontrará algumas dicas sobre o que Poderá Fazer pela Natureza:

 

  • Na praia, não colha nem pise as plantas que crescem nas dunas. O solo desnudado facilita a erosão.
  • Não compre rochas nem corais, pois se o fizer estará a incentivar o seu comércio, contribuindo para a destruição dos recifes.
  • Se for praticar desporto náutico para o Sado, lembre-se da existência de golfinhos-roazes na região do estuário e ande com precaução. Faça aproximações lentas, garantindo uma distância mínima de 50 a 100 metros. Certifique-se que são os animais que se aproximam de si e não o contrário. Não alimente os golfinhos e não deite lixo para a água.
  • Quando for caçar, respeite os regulamentos sobre a caça e não encare as aves de rapina como seus concorrentes. Estes animais controlam pragas e eliminam os animais doentes entre as espécies cinegéticas.
  • Quando encontrar uma ave ferida recolha-a num local calmo, sombrio e com temperatura amena. Se for de rapina, envolva-a com um tecido porque assim ficará mais calma. Coloque-a numa caixa de cartão com alguns furos para deixar passar o ar. Nunca obrigue uma ave a beber e para a alimentar, introduza pequenos bocados de carne magra pela garganta. Contacte os centros de recuperação de aves.
  • Ao visitar uma área protegida, não colha flores, ovos ou sementes, não corte ramos nem faça inscrições nas árvores.
  • Faça silêncio e não use roupas de cores muito fortes; as suas hipóteses de avistar animais serão maiores.
  • Quando fizer um piquenique, não abandone o lixo (papel, sacos plásticos, latas, copos), leve-o consigo ou deposite-o nos locais próprios.
  • Faça fogueiras apenas nos locais indicados para esse fim, tomando as precauções adequadas. Se fumar, certifique-se que, no final, o cigarro fica bem apagado. Marque o 117, número nacional de Protecção à Floresta para informar de situações que envolvam risco de ocorrência de incêndio.
  • Da floresta e dos parques naturais, leve só fotografias.
  • Tome banho apenas em zonas autorizadas.

Neste blogue BEM COMUM, iniciei, vamos ver o futuro

Julho 26, 2008

O BEM COMUM já tem uns anos, e um bom leque de colaboradores. Este último ano para mim foi de uma experiência nova, outros ventos me chamam, outras missões.

Não sei quanto tempo poderei dar mais ao BEM COMUM, meio ano, um ano,ano e meio? Não sei, tudo dependerá daquilo que neste momento me dedico.

O BEM COMUM é uma boa experiência, é verdade que o fundei há anos, era sozinho e mantive-o. Depois vieram mais. O blogue foi assaltado e tomaram posse dele, num processo complicado que ainda está em investigação.

Foram mais os convidados para aqui ficarem, disseram que sim, depois nunca colaboraram. Compreendo, e compreendi.

Não sei qual vai ser o futuro do BEM COMUM, comigo ou sem mim; mas não é para já, talvez demore ainda uns meses.

Não queria, porém, deixar de reflectir com os leitores(as), neste princípio de férias, de lhes agradecer, ainda ficarei aqui por mais uns tempos, depois logo se verá.

Prémio Camões para António Lobo Antunes

Julho 26, 2008

António Lobo Antunes recebeu esta tarde o Prémio Camões, numa cerimónia que decorreu nos claustros do Mosteiro dos Jerónimos, na presença dos chefes de Estado de Portugal e Brasil.

Para o presidente do júri que decidiu a quem atribuir o prémio deste anlo, Fernando Martinho, o escritor português é “um dos que melhor cumpre os objectivos” do galardão.

No seu discurso, o Presidente da República português, Cavaco Silva, sublinhou “a originalidade e a invenção” da escrita de Lobo Antunes, cuja obra desde há quase 30 anos “tem-se avolumado e diversificado”.

Cavaco Silva aludiu também à internacionalização da obra do escritor, não deixando de salientar que uma das conclusões da Cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, realizada em Lisboa, foi “a projecção do Português e a sua afirmação no mundo, em termos que permitam aos nossos povos colher os benefícios inerentes”, sendo “também uma tarefa e uma responsabilidade”.

O Prémio Camões, no valor de 100 mil euros, foi instituído por Portugal e Brasil em 1987 e distingue anualmente um escritor de Língua Portuguesa que, pelo conjunto da sua obra, tenha contribuído para o enriquecimento do património literário e cultural em português.

Segundo a acta do júri, a escolha de António Lobo Antunes é justificada pela sua “mestria em lidar com a língua portuguesa, aliada à mestria em descortinar os recessos mais inconfessáveis do ser humano, transformando-o num exemplo de autor lúcido e crítico da actualidade literária”.

Festival de Folclore em Moreira da Maia

Julho 25, 2008

Amanhã, dia 26 de Julho, em Pedras Rubras/Maia, os sons da Sérvia, Índia, Argentina, entre muitos outros, invadem o Largo da Feira (21:30h) no II Festival Internacional de Folclore organizado pelo Grupo Regional de Moreira da Maia. O “Punjab Cultural” (Índia), a “Companhia Flamenca Cármen Guerrero” (Espanha), os “Los Mackay y Ballet Malambo (Argentina), a “Taiwan Youth Dance Companyn” (Taiwan) ou os portugueses “Grupo de Santa Marta de Portuzelo” prometem uma noite de Sábado memorável.

Um Grande Fim-de-semana na Maia

Julho 24, 2008

Os The Gift actuam amanhã, 25 de Julho no Complexo de Ténis da Maia, no penúltimo concerto do Festival da Juventude. Por sua vez, os Mind a Gap encerram o Maiact/08 no Sábado, a partir das 22h. Os desportos radicais continuam no Parque Central, com especial destaque para a tenda gigante de Paintball ou os inúmeros insufláveis para as crianças. Tudo de acesso livre e gratuito.

Já no dia 26 de Julho, em Pedras Rubras/Maia, os sons da Sérvia, Índia, Argentina, entre muitos outros, invadem o Largo da Feira (21:30h) no II Festival Internacional de Folclore organizado pelo Grupo Regional de Moreira da Maia. O “Punjab Cultural” (Índia), a “Companhia Flamenca Cármen Guerrero” (Espanha), os “Los Mackay y Ballet Malambo (Argentina), a “Taiwan Youth Dance Companyn” (Taiwan) ou os portugueses “Grupo de Santa Marta de Portuzelo” prometem uma noite de Sábado memorável.

Para terminar, ao longo de todo o fim-de-semana, mais de 2000 jovens praticantes de Andebol marcam presença no 5º Torneio Internacional de Andebol da Maia “Maia Handball Cup 2008”, o maior torneio internacional do género realizado em Portugal.

Pela Diversidade. Contra a Discriminação

Julho 23, 2008

Desde há cinco anos, a UE organiza todos os Verões uma volta  do camião antidiscriminação para sensibilizar os cidadãos para a igualdade de tratamento e combater os preconceitos.

O grande camião, pintado num vistoso amarelo e ostentando em letras garrafais a palavra “RESPECT” (respeito), não passa despercebido. Graças a um elevador, o acesso é fácil inclusive para as cadeiras de rodas.

Este ano, a volta começou na República Checa com uma visita em Junho ao festival de música de Praga. Nove outros países participam no circuito: Bulgária, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Polónia, Roménia, Eslováquia e Eslovénia. A volta termina em Outubro.

O camião fará uma paragem em duas cidades por país, participando em festivais de música, de juventude e de cinema, eventos desportivos, eventos em universidades e feiras de emprego. A mensagem da campanha será difundida através de eventos interactivos, como um concurso de canções, um passatempo sobre a diversidade e uma corrida de obstáculos em cadeiras de rodas.

O programa varia de país para país, com eventos especiais como fóruns de debate, concertos e espectáculos de dança.

Segundo uma recente sondagem da UE sobre a discriminação, no ano passado, aproximadamente um em cada sete europeus foi prejudicado por motivos de raça, origem étnica, idade, deficiência, religião, sexo ou orientação sexual.

A maioria dos europeus vê a discriminação como um problema muito comum, que tem repercussões nomeadamente a nível da habitação, dos cuidados de saúde, da educação e dos seguros.

Pela Diversidade. Contra a Discriminação – sítio Web sobre temas actuais e actividades da UE contra a discriminação.

Faça a sua proposta

Julho 22, 2008

Qualquer entidade interessada, pública ou privada, pode apresentar, até 30 de Setembro, propostas para criar o modelo de gestão, funcionamento e financiamento do mercado organizado de resíduos.

A iniciativa parte do Ministério do Ambiente que publicou recentemente o «Apelo à Demonstração de Interesse na gestão do Mercado Organizado de Resíduos».

O objectivo é que este mercado promova a valorização dos resíduos como matérias-primas, e a sua reintrodução no circuito económico, embora se trate de um instrumento de índole voluntária previsto no Regime Geral dos Resíduos.

As propostas apresentadas serão avaliadas por um grupo de trabalho nomeado para o efeito, que «deverá preparar os textos normativos necessários à boa execução da proposta seleccionada», contextualiza o Ministério do Ambiente. A este grupo de trabalho caberá também acompanhar a instalação física e electrónica do mercado e promover a sua divulgação junto dos agentes económicos, garantindo que o mesmo constitui um instrumento válido e eficaz da política de resíduos.

JOÃO CARLOS: LICENCIATURA EM BIOQUIMICA

Julho 22, 2008

Com a defesa do seu trabalho de licenciatura, hoje, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, com a classificação de 18 valores, licenciou-se o meu filho João Carlos Ribas de Almeida.

O trabalho louvado pelo júri titulava-se:

“EXPRESSÃO DE CITOQUERATINAS VIMENTINA E kI-67 NOS CARCINOMAS DO ENDOMÉTRIO EM GATA”

E de acordo com o júri constitui uma área ainda não investigada.

João Carlos, maiato, militante da Juventude Socialista, e Presidente do Núcleo de Bioquímica da Universidade, o qual fundou, frequentou a Escola de Moreira da Maia.

João Carlos é o primeiro licenciado pela UTAD, em Bioquímica.

Estou orgulhoso pelo meu filho, e daqui lhe envio o que sempre incuti, SAIBAMOS ESTAR NA SOCIEDADE AO SERVIÇO DOS OUTROS, E PELO MUNDO MELHOR.